ADAPTANDO O MODELO DE CAMPOS MAGNÉTICOS VIRTUAIS PARA DETERMINAÇÃO DE RELUTÂNCIA MAGNÉTICA NO CONTEXTO DE SMART GRIDS COM MÚLTIPLAS FONTES.

KRUGER, Vinnius Hirdes 1; JÚNIOR, Luiz Augusto de Paula Lima2;

Resumo

Introdução:O conceito de “Smart Grids” traz consigo novos desafios na integração e distribuição de energia de múltiplas fontes de maneira a atender demandas com diversos parâmetros e perfis de consumidores. Estes parâmetros podem envolver, por exemplo, tipos de fontes de energia desejadas (respeitando-se as capacidades das linhas de transmissão), rotas exclusivas e coeficientes de manutenção de rotas.

Objetivo:Este projeto teve por objetivo propor e implementar a simulação de um modelo e algoritmo associado de roteamento parametrizado de energia adaptando a abstração de Campos Magnéticos Virtuais ao contexto de Smart Grids.

Metodologia:Inicialmente, foi necessário aprofundar e adquirir conhecimentos relativos às tecnologias fundamentais tais como Smart Grids (e Blockchains), grafos, algoritmos clássicos de menor caminho (Dijkstra) e maximização de fluxo, dentre outros. No que diz respeito à implementação, foi realizada a ambientação com o sistema operacional Linux e a instalação seguida de testes de ferramentas de controle de versões (GIT, Subversion), da plataforma de desenvolvimento Qt (biblioteca e IDE), de forma a se poder compilar o simulador de Campos Magnéticos Virtuais (na sua versão QuickPath), escrito na linguagem de programação C++. No entanto, devido à complexidade desnecessária do simulador original, decidiu-se por implementar um novo simulador independente simplificado para o envio de requisições de energia parametrizadas e o estabelecimento automático de rotas. Este simulador, escrito também em C++, permitiu o refino sucessivo do modelo proposto, em cada fase do desenvolvimento do projeto.

Resultados:Um modelo geral e um algoritmo distribuído foram assim definidos e implementados para a solicitação de fluxo de energia e programação dos nós intermediários (entre fontes e consumidores de energia) chamados “energy routers”.

Conclusões:O projeto permitiu, por um lado, o aprofundamento e complementação da formação acadêmica com o emprego de muitos novos conceitos e os seus resultados foram promissores constituindo passo inicial para futuras melhorias.

Palavras-chave:Smart Grids. distribuição de energia. roteamento de energia. campos magnéticos virtuais.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador