Percepção dos médicos veterinários em relação a resistencias antimicrobiana no stado do Paraná

PENA Poliana Cristine de1; GOMES, Briana3; KAYAMORI, Jéssica3; BURCHARD, Javier3; PIMPÃO, Cláudia Turra2;

Resumo

Introdução:O conceito de saúde única integra a saúde humana, a saúde animal e o meio ambiente que estes vivem e o maior exemplo de saúde única é a resistência aos antimicrobianos (RAM), um fenômeno causado pelo uso intenso e indiscriminado dos antimicrobianos, sendo um problema de relevância mundial.

Objetivo:Este estudo teve como objetivo determinar a percepção dos médicos veterinários em relação a RAM e obter dados relacionados ao emprego dos antimicrobianos por estes profissionais por meio de coleta de dados no estado do Paraná.

Metodologia:Este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o parecer de número 2.741.792. Foi realizado um levantamento de dados através de questionários aplicados aos médicos veterinários cadastrados no Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Paraná (CRMV-PR), enviado por e-mail. A análise de dados foi realizada de forma descritiva e apresentadas em porcentagem.

Resultados:A abrangência dessa pesquisa foi de 2,74 % dos profissionais no Paraná; 44,1% dos participantes eram do sexo masculino (151), e 55,9% do sexo feminino (192). Sendo que destes, 42 % (142) somente concluíram a graduação, 28,8% (28,6) eram especialistas; 11,37% (69 ) eram mestres; e 9,6% (33) possuíam título de doutor; As especialidades desenvolvidas pelos profissionais foram: Animais de companhia 55,3% (190), Caprinos e Ovinos 45,4% (156) e Bovinos de leite, com 37,3% (n= 128), sendo que esta alternativa poderia ser escolhida mais de uma opção. Com relação a RAM, 42,2% (145) dos veterinários prescrevem antimicrobianos para uso terapêutico com frequência, 28,5% (98) prescrevem às vezes, 11,37% (n=39) raramente, 17,7% (n=61) nunca prescrevem. A prescrição de antimicrobiano como promotor de crescimento, conforme as respostas, ocorre com frequência em 23,3% (8), 4,3% às vezes (15), 4,3% raramente (15) e 55,1% nunca prescreve (189). 21,2% (73) dos profissionais responderam que prescrevem antimicrobianos somente com base em avaliação clínica, e 61,8% baseiam-se em avaliações clínicas e laboratoriais (212) e 0,87% (3) só fazem através de exame laboratorial. 64,7% (222) consideram a RAM tão importante quanto o câncer e 94,7% (325) consideram um problema de alto risco à saúde publica. 100% dos profissionais já ouviram falar em resistência antimicrobiana, destes 73,1% (251) conhecem o conceito ‘’Saúde Única’’/ “One Health”, porém destes 8,4% entende ‘’Saúde Única’’ por saúde do coletivo 8,4% (29), e 85,4% (293) entende por saúde humana, animal e do meio ambiente.

Conclusões:Percebe-se que os médicos veterinários estão preocupados com a RAM e podem ser parceiro importantes na luta contra a RAM. Porém o conceito correto de saúde única, ainda não está consolidado na Medicina Veterinária e temos que desenvolver ações para difundir a saúde única e consolidar este conceito no estado do Paraná.

Palavras-chave:Saúde pública. Resistência bacteriana. Meio ambiente. Saúde humana. Saúde animal.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador