OBTENÇÃO DE BIOFILMES ÚMIDOS FUNCIONAIS DE MISTURA DE AMIDO DE ARROZ E MANDIOCA COM EXTRATOS DE CAMELIA SIENENSIS (chá verde)

BRAZ, Ashley Caroline Pamplona1; SUCKOW, Neoli Lucyzyn2;

Resumo

Introdução:O amido é o maior grupo de polissacarídeos de armazenamento com respeito à sua distribuição no mundo vegetal, sendo as fontes mais comuns o milho, a batata, o trigo, a mandioca e o arroz. O uso de amidos de fontes variadas, sozinhos ou em interação, tem sido bastante difundido para a obtenção de filmes comestíveis, que são utilizados como embalagens biodegradáveis utilizados para o recobrimento de alimentos. Entretanto, seu uso no desenvolvimento de filmes ou películas poliméricas como substitutos para as formas tradicionais de utilização de produtos cosméticos tais como soluções e emulsões, ainda é pouco explorada comercialmente no Brasil.

Objetivo:O objetivo do presente estudo é obter e caracterizar membranas úmidas a partir da mistura de amido de milho, de arroz em interação com extrato de chá verde (Camellia sinensis).

Metodologia:Os biofilmes úmidos foram obtidos a partir de misturas em diferentes concentrações de amido de milho e arroz em água e chá verde, em banho-maria. A caracterização foi realizada através da medida da espessura dos filmes que foi realizada com o uso do paquímetro digital; a umidade foi avaliada através de secagem em estufa à 105ºC por 3 horas; a estabilidade física das membranas foi testada em diferentes solventes (água, NaCl 0,15M e NaOH 1M) e temperaturas (25ºC e 36ºC), por um período de 5 dias; e a opacidade foi avaliada através da leitura em espectrofotômetro, a 550 nm.

Resultados:Na elaboração das membranas foi observado que o melhor resultado foi obtido na concentração de 240 g/L de misturas de amidos em uma proporção de 33.3% de amido de arroz e 66.6% de amido de milho, respectivamente, e uma concentração de chá verde de 8,75g/L. Os biofilmes apresentaram um valor médio de espessura de 1,54 mm, 79.39% de umidade e alta opacidade. Além disso, as membranas se mantiveram estáveis em água e NaCl, nas diferentes temperaturas testadas, durante o período da análise. Por outro lado, as membranas colocadas em NaOH não tiveram estabilidade e desmancharam em contato com o solvente.

Conclusões:As membranas adquiridas podem ser de utilidade para futuras pesquisas na área de cosméticos. Outros princípios ativos que trazem benefícios à pele, como óleo de amêndoa, podem ser incorporados nas membranas. Ainda existem muitas pesquisas que podem ser feitas na área, e este trabalho pode servir como ponto de partida para esses novos estudos.

Palavras-chave:Amido. Chá verde. Biofilmes úmidos.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador