PERMANÊNCIAS E EFEMERIDADES: ASSENTAMENTOS HABITACIONAIS E SUA INTEGRAÇÃO NA CIDADE DE CURITIBA/PR

BAZZANELLA, Victor Hugo1; ULTRAMARI, Clovis2;

Resumo

Introdução:A informalidade e a pobreza urbana, cada vez mais presente nas cidades brasileiras, têm se tornado um grande desafio ao poder público em virtude da necessidade de garantir acesso a terra e à moradia e entre outras premissas sociais básicas para o desenvolvimento urbano. O cenário urbano atual retrata e reforça a ausência de integração desses assentamentos na malha da cidade, dado a precariedade de infraestrutura ou até mesmo a má concepção de seu desenho o qual não favorece à cidade contemplar esses espaços.

Objetivo:Acerca desse contexto, o trabalho possui, como objetivo, identificar as principais permanências em projetos habitacionais ou reassentamentos no município de Curitiba, Paraná.

Metodologia:Para o estudo, foram analisadas as possíveis mudanças ou continuidades que ocorreram nos projetos e políticas de moradia popular em Curitiba, além da coleta de dados relativos às habitações já concebidas e implantadas. A consolidação de dados decorreu-se a partir de três etapas: familiarização do objeto de estudo por meio de referências bibliográficas, levantamento de informações acerca dos empreendimentos desenvolvidos pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (COHAB-CT) e aplicação de entrevistas abertas aos técnicos responsáveis por instituições com ênfase nas áreas de habitação e planejamento urbano.

Resultados:A partir da aplicação do estudo de caso, observa-se a existência permanências no atual cenário das habitações populares. Verifica-se que, em sua maioria, os conjuntos habitacionais são implantados em regiões afastadas dos grandes centros e carentes de infraestrutura básica. A análise dos dados fornecidos pela COHAB-CT contribuíram para detectar as áreas de preferência para a implantação desses assentamentos (os bairros Cidade Industrial de Curitiba - CIC e Sítio Cercado), bem como a tipologia destas habitações – conjuntos verticais, horizontais e mistos. Por meio da espacialização dos dados obtidos, percebe-se a baixa integração urbana desses assentamentos no município. Em termos de novos conjuntos, os vetores de crescimento são de sentido centro-sul, onde o bairro CIC apresenta à quantidade de habitações inversamente proporcional a área total do bairro (empreendimentos verticais), enquanto no bairro Sítio Cercado apresenta habitações predominantemente horizontais, assim sendo em sua quase totalidade. As habitações nestes bairros são, também, reflexos de projetos de regularizações fundiárias sobre ocupações irregulares anteriores.

Conclusões:Em suma, os mapas de análise, junto com as entrevistas, confirmam a expansão desses assentamentos para as áreas mais periféricas da cidade, a permanências quanto às tipologias arquitetônicas e o baixo custo construtivo e projetual aplicado nos empreendimentos habitacionais de interesse social ao longo da história.

Palavras-chave: Curitiba. Segregação urbana. Habitação de interesse social. Política habitacionais.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador