ANÁLISE DA PREVALÊNCIA DE OSMOFOBIA E ALTERAÇÕES OLFATÓRIAS EM ENXAQUECOSOS COM E SEM AURA

SANTOS, Fabiana Seifert1; FORNAZIERI, Marco Aurelio2;

Resumo

Introdução:A enxaqueca é uma doença caracterizada por uma condição clínica em que há cefaleia incapacitante associada a outros sintomas como náuseas. Esse distúrbio causa grandes prejuízos aos indivíduos e pode ser desencadeada por vários fatores, dentre eles alguns odores ou consumo de alguns alimentos. Sua fisiopatologia envolve a ativação e sensibilização das vias trigeminovasculares, núcleos do diencéfalo e do tronco cerebral por gatilhos como consumo de determinados alimentos, odores, cansaço, jejum, fatores emocionais, alterações climáticas e atividade física.

Objetivo:Analisar e comparar a prevalência de osmofobia e presença de fantosmia, cacosmia e alucinações olfatórias após exposição ao alimento gatilho em pacientes enxaquecosos com e sem aura.

Metodologia:Os pacientes foram recrutados em consulta médica da otorrinolaringologia ou neurologia no ambulatório especializado da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) Campus Londrina, através de anúncios em banners em lugares públicos e contatos. O estudo é um ensaio clínico randomizado do tipo grupo-controle. Foram aplicados questionários a todos os pacientes recrutados (66) e após critérios de exclusão foi obtida uma amostra (7). Posteriormente ao pré-teste, como citado, foi realizado a aleatorização por sorteio em quatro grupos e consecutivamente o pós-teste consistiu em estabelecer contato com o paciente após 48 horas e verificar se houve alguma sintomatologia ou intercorrência no período.

Resultados:Dos participantes cinco foram mulheres e dois homens, os quais apresentaram os principais desencadeantes alimentares o chocolate e o queijo e os não alimentares o estresse e o cansaço. Foi verificado a presença total (100%) de osmofobia nos pacientes e em menor expressão as demais alterações analisadas: alucinações em nenhum paciente (0%) e fantosmia e cacosmia (14%) em paciente sem aura.

Conclusões:No presente estudo, a presença ou não de aura não interferiu na apresentação de osmofobia e houve uma tendência a apresentação de fantosmia e cacosmia na ausência de aura, sendo necessários mais estudos para confirmação da mesma pelo pequeno número de pacientes avaliados. Não foi relatada nenhuma alucinação olfatória. Houve grande dificuldade no recrutamento de pacientes, ponto importante a ser considerado em estudos com abordagem semelhante.

Palavras-chave:Enxaqueca. Osmofobia. Alimentos

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador