ANÁLISE DE PARÂMETROS CIRÚRGICOS, LABORATORIAIS E PSICOSSOCIAIS DE PACIENTES DOADORES RENAIS DE UM SERVIÇO DE TRANSPLANTES DE CURITIBA - PR

NUNES, Milena Hay1; MEYER, Fernando2;

Resumo

Introdução:Quando considerada a importância do procedimento de transplante renal com doador vivo, o seguimento destes doadores torna-se extremamente relevante. O estado de saúde pós doação renal, satisfação com o procedimento, desenvolvimento de transtornos psiquiátricos como ansiedade e depressão devem ser investigados, e as variáveis que deram origem a estas desordens elucidadas e possivelmente evitadas para os futuros doadores.

Objetivo:O presente projeto tem por objetivo avaliar e correlacionar as variáveis cirúrgicas da nefrectomia videolaparoscópica, bem como o seguimento laboratorial do pós-operatório de pacientes submetidos à doação renal em um serviço de transplante de Curitiba – PR, num período de 1 ano e 5 anos após passarem pelo procedimento.

Metodologia:O presente estudo baseou-se em uma revisão de 121 prontuários de pacientes doadores renais no Hospital Universitário Cajuru, em Curitiba-PR, bem como na aplicação de questionário abordando aspectos psicossociais proposto e validado por Sigrid Fry-Reyere e colaboradores a 34 pacientes que se dispuseram. Os parâmetros clínicos foram obtidos através do sistema hospitalar. A taxa de filtração glomerular estimada foi calculada pela fórmula de CKD-epi. Os dados obtidos foram computados pelo programa Excel e analisados estatisticamente no SPSS. Para avaliar a associação entre duas variáveis utilizou-se o teste de Fisher e para mais variáveis o teste Qui-Quadrado. Valores com p<0,05 indicam significância estatística.

Resultados:Dentre os resultados principais observou-se que 72% dos doadores eram mulheres. A idade média dos doadores foi de 43 anos (mínima 21 e máxima de 61 anos). Todas as cirurgias se iniciaram por via videolaparoscópica, 2 utilizaram a técnica Hand Assisted, ambas de rim direito, e 3 tiveram que ser convertida para laparotomia. Houve dois casos de infecção de sítio cirúrgico, um evoluindo com abcesso. Houve um caso de óbito no pós-operatório decorrente de IAM. O aumento da creatinina sérica foi de 0,75 mg/dL (desvio padrão de ±0,16) no pré-operatório para 1,17 (±0,26) no PO imediato e 1,1 (±0,23) em um ano decorrido do transplante. Nenhum dos pacientes que responderam o questionário demostraram arrependimento de ter doado o rim.

Conclusões:Esta pesquisa demonstrou que nenhum dos pacientes que aceitou responder o questionário teria arrependimento quanto a doação renal. Ainda mostrou que o seguimento clínico destes pacientes ainda é falho em alguns aspectos, e merece atenção especial quanto ao follow-up a longo prazo e à padronização no rastreio das principais patologias envolvendo pacientes com rim único.

Palavras-chave:Transplante Renal. Doadores. Follow-up. Psicossocial

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador