A QUESTÃO DO COMPORTAMENTO E A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NA COMUNIDADE DE CORINTO (1COR 11-14)

DIAS, Marcela de Jesus1; ARTUSO, Vicente2;

Resumo

Introdução:O Apóstolo Paulo fundara uma comunidade cristã na cidade de Corinto. Esta igreja é característica pela diversidade de dons, mas também pelas divisões em seu meio. Alguns aspectos visíveis ao decorrer da primeira carta são notados: como conflitos e divisões entre judeus e gregos; escravos e livres; homens e mulheres; ricos e pobres. A questão estudada nesse projeto são os problemas da participação da mulher no culto, e a questão da ordem nas assembleias. A mulher ora e profetiza nas assembléias, como deveria se portar em meio a diversidade de carismas, incluídos o dom de línguas?

Objetivo:Analisar as orientações de Paulo para a prática cristã e possíveis efeitos na reconstrução da unidade. Como objetivos específicos analisar e confrontar os textos escolhidos de 1Cor 11.2-16 e 14.33b-36; Buscar os motivos da instrução de Paulo: porque Paulo aconselha as mulheres a se calarem em 1Cor 14.33b-36; a mulher tinha voz e vez na comunidade em Corinto?; Relacionar os contrastes entre 1Cor 11 com 1Cor 14 e atualizar as perícopes na vida eclesial.

Metodologia:Os materiais foram livros, produções acadêmicas, artigos, comentários, manuais de história do mundo grego e romano e do cristianismo nos primeiros séculos e dicionários para um melhor entendimento. O método se da em três níveis: histórico, literário e teológico.

Resultados:Os ensinamentos de Paulo a comunidade de Corinto eram levados a sério pelos coríntios, pois conservavam as tradições. As dúvidas que eclodiram foi em relação ao uso do véu ou não no culto, a participação das mulheres na oração e na profecia perdia o sentido se elas tirassem o véu. A mulher só tinha voz e vez quando usava o véu, pois era um sinal de autoridade tanto no culto como na sociedade, o cobrir a cabeça tem um sentido cultural e teológico, pois evidenciava a glória do homem. O contraste de 1Cor 11 e 14 se relacionam em seu conteúdo no sentido positivo pela presença das mulheres na comunidade, mas de modo negativo por serem restringidas a ficarem quietas no culto. O pedido para que ficassem caladas era para a boa ordem no culto, no contexto do cap. 14 Paulo instrui os coríntios acerca do uso dos carismas, nesse mesmo sentido as mulheres deveriam ficar caladas acerca de assuntos corriqueiros que não pertencessem ao culto (não fossem proféticos).

Conclusões:Notamos nas igrejas tanto católicas, carismáticas como protestantes pentecostais e neopentecostais um aumento das mulheres nos cultos e missas e, além disso, na participação destas de forma ativa. Do mesmo modo que mulheres possuem voz e vez, há muitas que são “oprimidas” e caladas pela leitura limitada da interpretação dos textos quais são peculiares a uma determinada época, de contexto cultural e social diferente do nosso. A pesquisa é de suma relevância para entender o comportamento e a participação das mulheres na igreja de Corinto e também pela atualização para a época presente.

Palavras-chave: mulheres. Corinto. Autoridade. Véu. Instrução.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador