A CURA DO LEPROSO EM VISTA DA MISSÃO EM MC 1,40-45

PINHEIRO, Ana Paula Lemos1; ARTUSO, Vicente2;

Resumo

Introdução:Entre o povo que seguia Jesus, haviam diversos tipos de doenças. Uma dessas doenças era a lepra. Jesus curou alguns leprosos. Foram analisados os motivos pelos quais Jesus curou um leproso em Marcos capítulo 1, versículos 40 a 45, além do motivo da missão. Foi exposto o significado do segredo messiânico, que sempre resultava em compromisso com a missão, a condição das pessoas portadoras da lepra, o exame dos conflitos e preconceitos da sociedade em relação ao doente, e a análise hermenêutica para verificar quem são os excluídos hoje, ou seja, o que pode ser feito para que a prática de Jesus possa ser atualizada.

Objetivo:Analisaram-se os diversos motivos pelos quais Jesus curou um leproso em Marcos 1, 40-45, inclusive o motivo da missão. Foi feita uma análise da pericope a nível histórico e literário, tradução crítica e textual com enfoque de palavras chaves do grego, análise linguístico-sintática, análise estilístico-narrativa, exame dos conflitos e preconceitos da sociedade da época em relação ao doente, interpretação do sentido do segredo messiânico, síntese da teologia do texto e análise hermenêutica.

Metodologia:Foram utilizados o Dicionário do Grego do Novo Testamento, Novo Testamento Interlinear Grego-Português, Bíblia de Jerusalém, The Catholic Bible (Bíblia Católica de Estudos em Inglês); Programa Sofware de idiomas Bible Works, e a criação e os resultados de tabelas de tradução do Grego para o Português. O método utilizado foi o de leitura, análise e síntese literária, conferição de cada palavra do texto referente a Marcos 1, 40-45 no dicionário Greto do Novo Testamento, utilização da tradução do Novo Testamento Interlinear Grego-Português, uso do programa de idiomas Bible Works para a análise gramatical, e a criação de tabelas de tradução no programa Microsoft Word para fins de organização e esquematização de cada palavra referente a Marcos 1, 40-45.

Resultados:Foi descoberto: que o relato não começa com o deslocamento de Jesus a outro lugar, mas com a vinda do enfermo a Ele; que Jesus teve compaixão pelo enfermo, advinda do profundo do seu coração, pulmões e fígado; que a petição e a cura estão relacionadas entre si em Marcos 1, 40-42; que Jesus irritou-se; que o mandato de guardar silencio é estilístico dos relatos de milagre; que o leproso curado saiu e começou a divulgar o acontecido por todas as partes.

Conclusões:Foi concluído: que Jesus e o enfermo se fundem numa mesma fé; que não se sabe o espaço de tempo que Marcos levou para escrever entre o verso 1, 44 e o verso 1, 45, e por isso o leproso guardou silencio, somente posteriormente divulgando a sua cura; que o silencio não está somente com a pessoa de Jesus, mas era uma preparação que o enfermo deveria cumprir para efetivar a missão; que Jesus não se irritou, mas advertiu, e que a multidão presente não tem a ver com a desobediência do leproso ao ter saído a contar a todos que fora curado, mas com um espaço de tempo desconhecido entre versículos.

Palavras-chave:Jesus. Cura. Lepra. Compaixao. Missao.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador