POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A JUVENTUDE: O ACESSO AO TRABALHO

PEDROSO, Polyana Raquel1; GISI, Maria Lourdes2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa tem como objeto de estudo o acesso da juventude ao trabalho. O direito ao trabalho está garantido para a juventude por meio da Lei nº 12.852, mas no contexto global, regional e local, o jovem atualmente não encontra um meio que favoreça o acesso a inserção laboral. O panorama mundial demonstra que os jovens poderão ser os principais afetados pela crise econômica instaurada. Em 2017, quase 70,9 milhões de jovens estavam desempregados no mundo, o que equivale a uma taxa de desemprego juvenil global de 13,1%, considera-se que os jovens têm três vezes mais chances de estarem desempregados do que adultos. Diante desta realidade surgiu o interesse em conhecer como vem sendo abordada a questão na produção científica.

Objetivo:Realizar um levantamento dos trabalhos publicados sobre as políticas públicas para a juventude no que se refere ao acesso ao trabalho. Identificar nos trabalhos publicados o objeto do estudo, o aporte teórico e a metodologia utilizada.

Metodologia:A pesquisa foi realizada por meio eletrônico, a partir de consulta no portal periódicos da Scientific Electronic Library On-line (SciELO) e da Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (CAPES), e na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD). Os critérios para a seleção dos artigos foram: título, palavras-chaves e o resumo de acordo com os descritores e referentes à estudos no país. O período considerado para a pesquisa foi de 2000 a 2018.

Resultados:Neste estudo se encontrou no total 10.600 resultados, mas apenas 131 pesquisas foram selecionados por contemplarem a temática, sendo que a maioria encontrada é de psicologia e ciências sociais. Destes, 41 artigos são do SCIELO, 19 artigos da CAPES, 71 teses/dissertações da BDTD. A metodologia mais utilizada nos textos analisados foi a análise documental, seguida da pesquisa bibliográfica, e o procedimento mais utilizado foi a entrevista, seguido de questionários. A maioria dos textos analisadas não enfatizava o seu aporte teórico, sendo que os autores mais citados foram Karl Marx, Michel Foucault, Friedrich Engels, Antônio Gramsci, Georg Lukács, Márcio Pochmann e Pierre Bourdieu.

Conclusões:Considerando que os principais veículos de produção científica no Brasil são as plataformas pesquisadas, pode-se concluir que os índices de pesquisas a respeito de políticas públicas para juventudes e o acesso ao trabalho é muito inferior aos demais, correspondendo a 1% da produção científica dos resultados encontrados durante o estudo. Faz-se necessário, também, que políticas públicas foquem especificamente nas juventudes, pois suas poucas oportunidades de acesso ao mercado de trabalho tem chamado cada vez mais a atenção dos governos em todo o mundo.

Palavras-chave: Juventude. Políticas Públicas. Acesso ao trabalho.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador