POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO PARA JUVENTUDE

FREITAS, Allana Vitoria de1; GISI, Maria Lourdes2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa tem como objeto de estudo as políticas educacionais para juventude que tem sido propostas com a intenção de democratizar o acesso à educação superior. Tais políticas buscam intervir na falta de vagas de caráter gratuito, na dificuldade de permanência dos estudantes no ambiente acadêmico e na desigualdade de acesso ao ensino, possibilitando a inclusão dos jovens nas universidades. Em relação ao acesso verifica-se que no ano de 2017, segundo o Censo da Educação Superior, apenas 19,7% dos jovens entre 18 e 24 anos frequentavam a educação superior (BRASIL, 2018). Dessa forma, mediante políticas públicas se busca a redução da desigualdade com programas ofertados pelo Governo Federal. Entre estes as políticas de ações afirmativas pautadas nos princípios de igualdade e equidade, objetivando a mudança no acesso e na permanência dos estudantes de grupos minoritários na educação superior. Diante do quadro surgiu o interesse em investigar a produção científica existente sobre a temática.

Objetivo:Realizar um levantamento dos trabalhos publicados em periódicos qualificados da área da educação sobre políticas públicas para juventude;Identificar nos trabalhos publicados os objetivos, o objeto de estudo e a metodologia utilizada.

Metodologia:A pesquisa realizada é parte integrante de um estudo do tipo estado do arte sobre a temática da educação para a juventude e foi realizado mediante um levantamento das publicações nos periódicos da CAPES nos anos de 2000 a 2018 a partir dos descritores “acesso ao ensino superior”, “acesso à educação superior” e “juventude e educação”.

Resultados:Os resultados evidenciaram a presença dos descritores mencionados em 84 artigos dos 342 encontrados durante a pesquisa, correspondendo a 25% dos periódicos publicados na plataforma. Observou-se nos artigos analisados uma preocupação com a desigualdade social, com as questões raciais e com o acesso e a permanência dos grupos minoritários no contexto educacional com ênfase na democratização do acesso.

Conclusões:A pesquisa evidencia que as políticas públicas de acesso à educação superior favorecem a inclusão social, ao possibilitar o acesso, embora não sejam ainda suficientes, em especial, para a permanência dos estudantes até a conclusão do curso. Cabe ressaltar, no entanto, que tem contribuído para a diminuição da desigualdade social, da exclusão educacional e da discriminação econômica, além de indicar a importância do aprofundamento da pesquisa em torno dos aspectos referentes à temática.

Palavras-chave: Políticas Públicas. Educação SSuperior. Juventude.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador