GERAÇÃO Y E A PROCRASTINAÇÃO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS

ALVES, Nicolle Fernanda Nichele1; SAPIENZA, Graziela2;

Resumo

Introdução:A procrastinação é compreendida como o comportamento de adiar a execução de uma atividade considerada prioridade e realizar outras de menor importância no lugar. As possíveis consequências desse fenômeno variam entre ansiedade e prejuízos no desempenho acadêmico. Uma das principais características da geração Y é o seu grande domínio em grande parte das tecnologias atuais. É possível visualizar que estas pessoas têm acesso a uma gama maior de estímulos que podem favorecer a incidência do comportamento da procrastinação.

Objetivo:O objetivo desse estudo foi o de avaliar esse comportamento e como ele se relaciona com as pessoas dessa geração.

Metodologia:Foi divulgado um questionário online para os estudantes da PUCPR que contemplavam três domínios: questões autorais que contemplavam aspectos relacionados ao uso das tecnologias e o desempenho acadêmico; a Escala de Procrastinação Acadêmica (Sampaio, 2011); e o inventário de Processos de autorregulação da Aprendizagem (Rosário, 2009). Os dados obtidos pela amostra de 166 estudantes foram transportados para a plataforma Excel para uma análise quantitativa em consonância com categorias de análise pré-estabelecidas e transformados em tabelas para que a discussão fosse facilitada.

Resultados:Sobre os resultados referentes ao uso das tecnologias, aproximadamente 0,7% usam esse tipo de tecnologia por menos de uma hora por dia; 13,8% usam por um período entre uma e três horas por dia; 30,7% usam entre três e cinco horas por dia; 30,7% usam de cinco a sete horas por dia; 24,1% passam mais de sete horas por dia utilizando essa tecnologia. 42,1% usam por lazer; 13,6% usam para estudos; 33,1% usam para usar as redes sociais; 11,2% usam para outros objetivos (profissionalização, trabalho, etc.). Quando os dados das escalas são comparados entre as dimensões relacionadas ao uso das tecnologias, participantes que passam mais horas usando essas tecnologias e que visam o lazer tendem a procrastinar mais, tendem a se distrair e interromper o estudo para a realização de outras atividades mais do que as outras pessoas. Participantes que não se encontram satisfeitos com o seu desempenho acadêmico e os que consideram a média de suas notas como baixas também apresentam uma maior tendência à procrastinação.

Conclusões:Os resultados encontrados nesse estudo reforçam os dados encontrados na literatura, a procrastinação pode acarretar na diminuição do rendimento acadêmico e o uso das tecnologias é considerado uma variável que aumente a probabilidade desse tipo de comportamento. Recomenda-se que a pesquisa tenha continuidade para a ampliação do número da amostra, de maneira que os resultados sejam mais concretos e relevantes. Também se sugere que mais estudos sobre a relação da Geração Y com o ambiente sejam realizados para compreender as questões relacionadas à motivação para o estudo dessas pessoas.

Palavras-chave: Procrastinação Acadêmica. Geração Y. Autorregulação da aprendizagem.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador