PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL: ASPECTOS TEÓRICOS E APLICADOS

OLIVEIRA, Lucas Barion de1; LOPES, Ricardo Dantas2;

Resumo

Introdução:Atualmente, a educação financeira tornou-se algo essencial na vida do ser humano. Uma vida financeira organizada, bem planejada e estruturada, pode ser uma importante ferramenta que auxilia as pessoas a evitarem gastos desnecessários e endividamentos. O planejamento financeiro contempla não somente a ação de poupar o dinheiro, mas também o investimento eficiente que é benéfico não somente ao indivíduo, mas também a sociedade.

Objetivo:Esta pesquisa buscou identificar o comportamento financeiro dos alunos do ensino médio de uma determinada escola particular de Maringá. Além disso, buscou-se também verificar se o comportamento desses jovens se assemelha ao dos brasileiros, conforme divulgado na pesquisa Educação Financeira, de 2017.

Metodologia:No início, foram estudados os temas em questão, mais especificamente os conceitos de planejamento e educação financeira, bem como o que dizem os autores da área sobre o tema. Santos (2014, p.23) destaca que o mesmo permite ajustar a renda “ás necessidades indispensáveis, identificar e eliminar gastos supérfluos, planejar compras futuras evitando o pagamento excessivo de juros, realizar objetivos de vida e enfrentar com maior tranquilidade eventuais problemas”. De acordo com Costa (2004), conhecer efetivamente seus ganhos e gastos contribui com a prevenção contra as crises e possibilidades de endividamento. Após a compreensão desses temas, decidiu-se por realizar uma pesquisa por meio de um questionário com perguntas quantitativas e qualitativas. O questionário foi entregue aos alunos da escola selecionada juntamente com o termo de consentimento dos pais. Após alguns dias os questionários foram recolhidos e os dados tabulados.

Resultados:Dos 23 respondentes, 11 afirmaram possuir pouco conhecimento sobre o assunto, enquanto que os outros 12 disseram ter um conhecimento mediano. Além disso, 13 alunos informaram realizar o controle financeiro “de cabeça”, sendo que apenas 8 disseram utilizar um caderno ou software. Em outra questão, foi solicitado que os alunos assinalassem as alternativas que possuíam conhecimento suficiente para tomar decisões no futuro, 3 alunos assinalaram financiamentos, 4 assinalaram previdência, 5 investimentos e 6 marcaram empréstimos.

Conclusões:O comportamento financeiro desses alunos pode ser considerado insatisfatório devido ao fato que, a grande maioria, possui conhecimento apenas sobre os assuntos financeiros mais simples (com exceção dos juros) como cartões e contas poupança. Sobre outros assuntos mais complexos, como financiamentos, empréstimos, previdência e investimentos, os alunos respondentes não afirmaram ter um conhecimento adequado para a tomada de decisões. O comportamento financeiro desses alunos também se caracteriza por sua superficialidade. Grande parte possui comportamentos apenas de poupadores, não se aprofundando em ações que de fato tragam algum retorno financeiro consistente. Devido a recente crise econômica que viveu o país, muitas pessoas desenvolveram um comportamento financeiro mais cauteloso, além disso, hoje não existe um programa de educação financeira aplicado no ensino fundamental ou médio

Palavras-chave: Planejamento financeiro. Investimento. Endividamento.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador