TRIAGEM FUNCIONAL DE CEPAS DE FUNGOS PRODUTORES DE L-ASPARAGINASE EM MEIO LÍQUIDO

FIORI, Aline Gouveia1; ROSA, Edvaldo Antonio Ribeiro2;

Resumo

Introdução:As leucemias compreendem um grupo de neoplasias malignas do sistema hematopoiético mais comum na infância, sendo Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA) caracterizada pelo acúmulo de células imaturas da linhagem linfoide na medula óssea, no sangue periférico e nos órgãos linfoides. A L-asparaginase (L-ASNase) é um dos pilares dos protocolos de tratamento de LLA e é normalmente produzida por procariotos; porém, quando em uso contínuo, são observados sintomas de hipersensibilidade. Logo, a busca por novos métodos de obtenção da enzima, de forma efetiva e de baixo custo, é necessária. Em tendo em vista que fungos (organismos eucarióticos) são mais próximos evolutivamente de humanos que organismos procarióticos e, visto seu potencial de produção de L-ASNase, esses seriam uma opção interessante, no que se refere a produção da enzima.

Objetivo:Prospectar cepas fúngicas que produzam L-ASNase através de triagem em meio de cultura líquido. Dentre essas cepas, era esperado encontrar uma ou mais que fossem boas produtoras da enzima.

Metodologia:As cepas de fungos filamentosos foram cultivadas previamente em batata-dextrose-ágar (BDA) durante sete dias. Essas foram transferidas para o meio Czapek-Dox modificado (CDM) pH 6,2, o qual possui uma composição propícia a produção da enzima. As culturas foram mantidas em 120 rpm, a 30 °C, por 120 h. Os sobrenadantes foram recolhidos e imediatamente avaliados em relação às suas atividades hidrolíticas, por meio de ensaio de Nesslerização (mede a liberação de amônia por meio da hidrólise da asparagina) dos sobrenadantes, e as biomassas foram determinadas por gravimetria com filtração dos micélios em papel-filtro. Diferenças entre as atividades enzimáticas das cepas foram acessadas pelo teste de Tukey, com linha de determinação de diferenças estatísticas de 0,05.

Resultados:Em relação a atividade enzimática, C. blakesleeana DSM1906, C. elegans DSM1908 e C. elegans DSM63299 não mostraram diferenças entre si (p<0,891) e foram inferiores às demais (p<0,043). As cepas C. elegans DSM8217, C. echinulata DSM1905 e A. niger 3438 se mostraram melhores produtoras, sendo a última a mais produtiva. Em termos de atividade enzimática específica (onde se considera a biomassa), a C. echinulata DSM1905 atingiu um melhor resultado em relação às demais cepas analisadas.

Conclusões:Em termos de produção por processo, o A. niger 3438 se mostrou o mais indicado; contudo, quando se considera a produção normalizada pela biomassa, a C. echinulata DSM1905 se mostra superior.

Palavras-chave:L-asparaginase. Prospecção. Fungos. Atividade enzimática.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador