AVALIAÇÃO SANGUÍNEA E HISTOPATOLÓGICA DE RATOS PRÉ-TRATADOS COM DROGAS ANTINFLAMATÓRIAS E SUBMETIDOS À PLEURISIA AGUDA INDUZIDA POR CARRAGENINA

GONÇALVES, Giovanna Zokner1; BECHARA, Gervasio Henrique2;

Resumo

Introdução:A inflamação é um processo biológico complexo, dinâmico e adaptável no qual o organismo responde contra estímulos nocivos, sejam eles endógenos ou exógenos, como patógenos, irritantes e células danificadas. O processo inflamatório é controlado por vários mediadores, como aminas vasoativas (histamina e serotonina), produtos do metabolismo da via cicloxigenase (COX) e do ácido araquidônico (AA). Um dos tipos de inflamações mais comuns é a pleurisia, que consiste na inflamação da pleura e que produz o aumento de infiltração de leucócitos na cavidade pleural e exsudação local.

Objetivo:Este projeto visou avaliar através da resposta sanguínea sistêmica e pela expressão de imunomarcadores características da inflamação no modelo de pleurisia em ratos induzida pela inoculação intrapleural de carragenina.

Metodologia:Foram utilizados 20 ratos Wistar adultos, machos, pesando em média 100 g, que foram distribuídos em quatro grupos de 5 animais cada: grupo 1(G1), grupo 2 (G2), grupo 3 (G3) e grupo 4 (G4).Os ratos foram anestesiados com isoflurano, alem de quetamina e xilasina. Foi realizada tricotomia de 1 cm² na região do 4° ou 5° espaço intercostal direito, por onde foram administradas as soluções de carragenina a 1,5%. Os grupos G2, G3 e G4 foram tratados, respectivamente, com dexametasona [(0,2mg/kg)], meloxicam [(2,5mg/Kg) e benoxaprofen [(25 mg/Kg) por via intramuscular 20 minutos antes da indução da pleurisia à carragenina. Após 4 horas, os animais foram submetidos novamente ao protocolo anestésico com isoflurano e eutanásia com solução de cloreto de potássio (KCl) através da veia caudal, seguida de uma colheita de sangue na região cervical. Imediatamente após a eutanásia foi realizado acesso da cavidade torácica e sua lavagem com 1 mL de solução salina heparinizada para colheita da efusão torácica em tubos contendo EDTA para posterior análise.

Resultados:Durante a avaliação por ANOVA, o valor significativo de diferença foi de 0,05, do grupo controle em relação aos outros grupos G2, G3, G4. Houve somente diferença significativa em relação ao volume total e o real de exsudato produzido durante o estudo. Na avaliação histopatológica pode-se observar que nos grupos em que foram injetados carragenina produziram inflamação, principalmente com as arteríolas congestas e dilatadas, além de possuir maiores quantidades de células infiltradas no meio extra vascular, em comparação com o controle.

Conclusões:Na amostragem realizada neste estudo, a migração dos leucócitos de forma relativa e absoluta não se apresentou prevalente no exsudato produzido pela pleurisia, independentemente dos medicamentos utilizados entre os grupos e o controle. Houve diferença significativa na produção de exsudato, indicando melhor eficiência do benoxaprofeno na redução da reação inflamatória em poucas horas após a indução da pleurisia por carragenina.

Palavras-chave: Inflamação. Pleurisia. Exsudato. Leucócitos. Antinflamatórios.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador