AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DOS RECURSOS E NECESSIDADES PSICO-ESPIRITUAIS DE PACIENTES E FAMILIARES EM CUIDADOS PALIATIVOS

SANTOS, Lívia Martins1; AUGUST, Hartmut 3; ESPERANDIO, Mary Rute Gomes2;

Resumo

Introdução:Os Cuidados Paliativos (CP) são o local dentro do cuidado em saúde onde pode-se observar com muita clareza a importância e efetividade da inclusão de abordagens não só relacionadas ao cuidado físico, mas também a um cuidado psicológico, social, familiar e espiritual. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a provisão do cuidado espiritual é parte intrínseca das boas práticas em cuidados paliativos e os estudos têm mostrado que a espiritualidade é utilizada por pacientes e familiares como fonte de construção de sentido e recurso de enfrentamento de situações de sofrimento.

Objetivo:Estudo teve como objetivo evidenciar os recursos e necessidades psico-espirituais de pacientes e familiares em Cuidados Paliativos; e propor diretrizes sobre como e quando acessar os recursos e as necessidades espirituais dos pacientes e seus familiares, com vistas à provisão de um cuidado interdisciplinar em saúde e na perspectiva da pessoa como um ser integral (whole-person care).

Metodologia:O método de pesquisa foi de natureza quantitativa, de tipo survey, de corte transversal (a coleta de dados ocorre em um só momento), classificada como descritiva. Foram utilizados os seguintes instrumentos na coleta de dados: Escala de Coping Religioso Espiritual (Brief-RCOPE), Escala de Apego a Deus (EAD) e Escala da Centralidade da Religiosidade (ECR).

Resultados:Participaram deste estudo 59 pacientes em tratamento médico e 50 familiares, nos Hospitais Santa Casa e Cajuru, em Curitiba, PR. A média de idade dos/as participantes foi de 59,2 anos. Desses, 65,1% são do sexo feminino e 34,9% sexo masculino. 81,6% afirmaram que não foram questionados pela equipe de saúde acerca de assuntos religiosos ou espirituais. A média do tempo de tratamento foi de 2 anos e 3 meses. Os diagnósticos com maior prevalência foram: insuficiência cardíaca, câncer de pulmão, câncer de mama, câncer de útero, câncer de próstata e doença renal crônica. A média do coping espiritual/religioso (CER) total desta amostra foi de 2,6(valor médio no parâmetro de escala), do CER positivo 3,8(alta) e do CER negativo 1,5(baixa). Os dados coletados referem que 81,9% das pessoas avaliadas encontram-se dentro do quadrante de segurança no relacionamento com Deus. A amostra avaliada é considerada como Altamente Religiosa (M=4,09). A dimensão central da religiosidade mais prevalente foi do tipo “Prática privada” (M=4,69), que contempla práticas relacionadas a oração e meditação. Através deste estudo foi possível evidenciar que a espiritualidade é um importante recurso utilizado pelos pacientes e familiares no enfrentamento da situação de sofrimento advindo da doença. Neste sentido, é fundamental que ela seja integrada nas práticas de cuidado. O Sistema Único de Saúde do Brasil aponta como um direito de todos os pacientes que se enquadrem em Cuidados Paliativos, um cuidado interdisciplinar, enxergando a pessoa como um ser integral, que possui necessidades bio-psico-sociais e espirituais de cuidado.

Conclusões:Conclui-se como desdobramento dos resultados levantados que se faz necessária a qualificação dos profissionais da saúde para que sejam capazes de integrar a espiritualidade nos CP. Destaca-se, também, a importância de uma equipe interdisciplinar que possua como finalidade maior um cuidado ético que respeite sempre a autonomia e dignidade de seus pacientes.

Palavras-chave: Cuidados paliativos. Espiritualidade e saúde. Coping Espiritual/Religioso. Apego a Deus. Espiritualidade/Religiosidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador