AVALIAÇÃO QUALITATIVA DOS RECURSOS E NECESSIDADES PSICO-ESPIRITUAIS DE PACIENTES E FAMILIARES EM CUIDADOS PALIATIVOS

ROSA, Tiago Silva da1; ESPERANDIO, Mary Rute Gomes2;

Resumo

Introdução:De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a provisão do cuidado espiritual é parte intrínseca das boas práticas em cuidados paliativos. Os estudos têm mostrado que a espiritualidade é utilizada como fonte de construção de sentido em situações de sofrimento e também como recurso de enfrentamento. O uso de componentes espirituais/religiosos para melhor lidar e enfrentar situações de sofrimento é denominado Coping espiritual/religioso (CER).

Objetivo:Este estudo teve como objetivos: 1) evidenciar o funcionamento da espiritualidade/religiosidade através da avaliação do coping espiritual/religioso, junto a pacientes e familiares em cuidados paliativos; 2) identificar nas narrativas de pacientes e familiares em CP quais suas necessidades psico-espirituais e recursos de enfrentamento; 3) Propor diretrizes sobre como e quando acessar estas necessidades, com vistas à provisão de um cuidado espiritual adequado às necessidades do/a paciente e de seus familiares.

Metodologia:Foi utilizada uma metodologia mista para o levantamento dos dados, com aplicação de instrumentos de medida e entrevista fenomenológica. A coleta dos dados qualitativos foi levantada por meio da entrevista fenomenológica. Os instrumentos utilizados foram: Questionário para levantamento dos dados sociobiodemográficos; Escala de Centralidade da Religiosidade; Escala de Coping Espiritual/ Religioso; e também 5 perguntas semi-estruturadas. Participaram deste estudo 30 pessoas, das quais 15 pacientes que se enquadram nas categorias: idosos maiores de 65 anos, diagnosticados com doenças crônicas; pacientes oncológicos com mal prognóstico; além de pacientes que estivessem propriamente em cuidados paliativos, com o requisito de que não estivessem muito debilitados. Os outros 15 foram familiares que se enquadram na categoria de cuidadores informais.

Resultados:Os dados nos mostram que embora a filosofia dos cuidados paliativos preconize a prática de um cuidado global, ainda prevalece a perspectiva biomédica, reduzindo o foco do cuidado na dimensão física e nos sintomas. O alto índice de utilização de recursos espirituais/religiosos aponta que espiritualidade/religiosidade é um recurso importante no enfrentamento da doença. Na análise das narrativas, os recursos espirituais/religiosos são os que mais se sobressaem. Estratégias como a oração, a literatura e músicas religiosas, são utilizadas como uma forma de conexão com o Sagrado. Enquanto para muitos/as pacientes o apoio e o cuidado ofertado por seus familiares foram vistos como recursos muito importantes, sobressai-se nas narrativas dos familiares a falta de cuidado e de apoio como necessidades. Muitos pacientes relataram que por conta do diagnóstico tiveram que parar de trabalhar, o que gerou nestes muita tristeza.

Conclusões:Estratégias de coping positivo estão sendo altamente utilizadas pelos/as pacientes e seus familiares com o objetivo de enfrentar o estresse e o sofrimento experienciados durante o tratamento e indicam o quanto a dimensão espiritual contribui para melhor enfrentamento do sofrimento. Os resultados evidenciam, desse modo, que a espiritualidade é uma dimensão relevante a ser incluída na terapêutica por toda a equipe de saúde. Nesse sentido, estas questões devem ser integradas nos currículos dos profissionais da saúde, assim como os teólogos/as devem estar mais preparados/as para atuação nesse campo de cuidado.

Palavras-chave: Cuidados paliativos. Cuidado espiritual. Coping espiritual/religioso. Espiritualidade/religiosidade. Espiritualidade e saúde.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador