MOBILIDADE VIGIADA: TÁTICAS DE UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS DE MOBILIDADE COMPARTILHADA EM CURITIBA

SOUZA, Gabriela Branco de1; FIRMINO, Rodrigo Jose2;

Resumo

Introdução:Essa pesquisa visa contribuir nos estudos sobre a caracterização dos modos de organização do espaço urbano contemporâneo e sua relação com aspectos de vigilância, monitoramento e controle na sociedade contemporânea. Além de compreender certas nuances de arranjos sociotécnicos de serviços de mobilidade compartilhada por aplicativos (do tipo Uber, 99Pop e Cabify), por meio de táticas de apropriação de motoristas de aplicativo para se locomover na cidade.

Objetivo:a) Caracterizar, conceitualmente, as formas de apropriação de espaços urbanos relativamente à crescente vigilância nas cidades e na sociedade contemporânea. Estudar bibliografia relativa às definições de vigilância, mobilidade, capitalismo de vigilância, espaço e territórios; b) Definir uma ou várias empresas de aplicativos de mobilidade compartilhada, inspiradas no modelo Uber, e recrutar motoristas que serão alvo da presente pesquisa etnográfica; c) Desenvolver métodos de aproximação e coleta das experiências com motoristas dos aplicativos de mobilidade compartilhada. Realizar um ou mais eventos de Grupo Focal com o intuito de detectar táticas de subversão e interação com os modelos de uso dos aplicativos nas rotinas dos motoristas de aplicativo.

Metodologia:A pesquisa aborda uma análise de revisão de literatura sobre os principais temas, com ênfase na caracterização da mobilidade urbana, tecnologia e cidades, economia de compartilhamento, e textos metodológicos. Além disso foi realizado em campo, um levantamento de veículos relevantes nacional e internacionalmente com finalidade de compreender principais questões relativas ao uso dos aplicativo de mobilidade. Essas informações foram importantes para realização do grupo focal que foi utilizado para explorar e questionar os motoristas de aplicativo de mobilidade compartilhada de diferentes formas de apropriação dos espaços urbanos em relação a vigilância nas cidades.

Resultados:A economia de compartilhamento tem ajudado a transformar a sociedade em que vivemos. Aplicativos como o Uber, 99Pop e Cabify, usufruíram desse novo conceito para criar um novo modal de mobilidade urbana nas grandes cidades. Além de lembrar que as empresas da sharing economy não se responsabilizam de nenhuma forma pelos parceiros. Portanto, como o objetivo da pesquisa foi observar as táticas de apropriação dos motoristas na cidade, é possível identificar uma organização individual e coletiva dos mesmos, para que consigam exercer a nova função com maior segurança e de forma mais prazerosa.

Conclusões:Vale destacar que a economia de compartilhamento ainda está sendo compreendida na sociedade, e tem um impasse por conta da falta de legislação para compreender os novos modais de mobilidade urbana. Pode-se perceber que os motoristas acharam novas formas de se proteger já não possuem nenhum vínculo empregatício com as empresas que prestam serviço, trazendo uma tendência de trabalho precarizado. Mas os motoristas encontraram novas táticas que ajudassem a melhorar e qualificar o serviço. Com isso surgem impactos diretos e indiretos nas formas de se locomover pela cidade.

Palavras-chave: Mobilidade Urbana. Economia de compartilhamento. Uber. Uberização.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador