ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO TEMPO PARA EXECUÇÃO DE TAREFAS POR ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

ANDRADE, Emily Zanon de1; GARCIA, Marcos Roberto2;

Resumo

Introdução:No âmbito acadêmico a procrastinação se caracteriza pelo adiamento ou interrupção de ações voltadas ao estudo e a falta em eventos relacionados ao estudar ou ao ambiente universitário. O ingresso no meio acadêmico, expõe o estudante a novos contextos, que trazem consigo maiores exigências em relação ao seu tempo de estudo, ao passo que oferta também, maior independência para a realização de suas tarefas acadêmicas. Com isso, observa-se que alguns universitários sentem dificuldades na adaptação ao novo contexto e frequentemente reclamam de estarem atrasados nas atividades, sendo uma das principais variáveis apontadas por eles, a dificuldade no gerenciamento do tempo. Tal variável é uma das principais no comportamento de procrastinar, que a curto prazo tem valor reforçador, mas é prejudicial ao desenvolvimento acadêmico do aluno, tendo impacto considerável no desempenho de notas e aprendizagem, e no nível de stress e qualidade de vida, gerando subprodutos típicos do controle aversivo.

Objetivo:A presente pesquisa teve como objetivo investigar se um número igual de tarefas, submetidas a diferentes períodos de tempo para sua execução (diferentes esquemas de razão e intervalo fixos) influem no modo como os estudantes acadêmicos administrariam seu tempo.

Metodologia:Caracteriza-se como uma pesquisa experimental envolvendo delineamento de grupo para analisar o comportamento de 09 estudantes universitários do curso de Psicologia, no engajamento em tarefas com prazos delimitados. Durante 98 dias os participantes responderam diariamente questionários de múltipla escolha sobre diversos temas de Psicologia. Na etapa de pré-teste e pós-teste os questionários eram constituídos por 10 perguntas. Na etapa de experimentação os participantes foram inseridos em três grupos em que tinham tempos diferentes para responder uma mesma quantidade de questões. Nessa etapa os participantes receberam pontuação que foram trocados por vale xerox. Os dados foram analisados cruzando as medidas: tempo de execução e de engajamento, quantidade de questões realizadas e corretas, bem como o horário de postagem das atividades na plataforma Blackboard.

Resultados:Os resultados obtidos apontaram que os participantes apresentaram o comportamento de procrastinação desde a etapa de pré-teste, uma vez que 2 dos participantes desistiram nesta etapa, 4 desistiram na etapa de experimentação e 2 na etapa de teste. Indicaram que o custo de resposta, aversividade da tarefa e concorrência com as atividades diárias pode ter influenciado em seu engajamento na execução das atividades.

Conclusões:Pode-se concluir que devido à baixa magnitude do reforçador para estabelecer um padrão de comportamento e comparar sua manutenção, bem como a falta de dados dos participantes da pesquisa para efeito de comparação não foi possível responder totalmente à pergunta de pesquisa. Contudo, alguns participantes manejaram seu tempo a fim de responderem as questões em um mesmo período do dia, intuindo evitar o comportamento de procrastinar, e que o fato do participante que permaneceu até o final da coleta de dados estar inserido no grupo com menor tempo para a execução da tarefa e maior proximidade do reforço, possivelmente motivarem seu engajamento na realização das atividades. Destaca-se ainda a importância do desenvolvimento do comportamento de autocontrole em universitários.

Palavras-chave:Gerenciamento de Tempo. Esquemas de Reforçamento. Estudantes Universitários. Procrastinação. Autocontrole

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador