APLICAÇÃO DO HIPOCLORITO DE SÓDIO NA DISSOLUÇÃO DE INSTRUMENTOS DE NÍQUEL-TITÂNIO TRATADOS TERMICAMENTE. ESTUDO IN VITRO.

ZANCHETTA, Nathália Alves1; CASSOL, Luiza Giacomet 3; NETO, Ulisses Xavier da Silva2;

Resumo

Introdução:Os instrumentos de níquel-titânio (NiTi) foram introduzidos a odontologia, há três décadas. Tornaram-se importante para realização do tratamento endodôntico, pois esta liga possui adequada flexibilidade e resistência à fadiga cíclica para se utilizar em instrumentos mecanizados, que proporcionam um formato de preparo que permite o adequado saneamento do sistema de canais radiculares em menor tempo quando comparado à instrumentos manuais. A liga NiTi possui a característica relevante de efeito térmico de memória de forma, que provém das fases martensita e austenita. Visando o aprimoramento desta característica que novas tecnologias com tratamentos termomecânicos de fabricação vêm sendo desenvolvidos. O tratamento térmico GOLD foi criado para aumentar a superelasticidade e a resistência à fadiga cíclica do instrumento. Entretanto, apesar das novas tecnologias e dos avanços conquistados, a fratura de instrumentos pode ocorrer, especialmente em canais radiculares com curvaturas severas. Muitos métodos e técnicas foram propostos para remoção dos instrumentos fraturados dentro do canal radicular, porém ainda não há nenhuma técnica padronizada que não cause danos à estrutura dentária.

Objetivo:Comparar a influência de duas soluções, uma fluoretada e outra de hipoclorito de sódio, ambas saturadas com cloreto de sódio, durante a dissolução eletroquímica de instrumentos com liga convencional de níquel-titânio, e instrumentos de níquel-titânio tratados termicamente (GOLD).

Metodologia:Duas soluções foram avaliadas (solução NaF - NaF 12g/L + NaCl 180 g/L, solução NaOCl – NaOCl 2,5% + NaCl 180g/L) pelo teste de polarização dos instrumentos Protaper Universal F1 (PTU F1) e Wave One Gold Small (WOGS), com a amostra de 48 instrumentos. Os potenciais de corrente elétrica estabelecidos foram de 0,5 V e 5 V para a solução NaF e NaOCl, respectivamente. A célula eletroquímica composta de três eletrodos foi utilizada para o teste de polarização dos instrumentos PF1 e WOGS, que tiveram 6 mm da ponta imersos nas soluções testadas. O registro da corrente elétrica ocorreu durante 540 segundos (s). Caso a dissolução completa da porção imersa do instrumento ocorresse em tempo inferior ao previsto, o experimento era considerado como finalizado. Foram mensurados as variações de tempo (em segundos) dos instrumentos na solução NaF, NaOCl e água destilada. A avaliação dos padrões de corrosão dos instrumentos ocorreu por meio de microscopia eletrônica de varredura (MEV). Os dados foram submetidos a análise estatística por meio dos testes de Mann Whitney, Kruskal Wallis e Dunn.

Resultados:As soluções NaF e NaOCl apresentaram diferença estatisticamente significante (p<0,05) em relação ao tempo de dissolução do instrumento (em segundos), com média de 12,9 s e 83,6 s, respectivamente. Não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05) em relação ao tempo na comparação da dissolução entre os instrumentos PTU F1 e WOGS.

Conclusões:Ambas as soluções demonstraram ter capacidade de dissolução dos instrumentos PTU F1 e WOGS. A solução NaF demonstrou ter resultados superiores em relação ao tempo.

Palavras-chave:Endodontia. Dissolução. Instrumentos de níquel-titânio. Hipoclorito de sódio

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador