O MUNDO DESCONHECIDO: REFUGIADOS FRENTE À LINGUAGEM COMO DESAFIO E ENLACE

VELHO, Anila Costa1; WINTER, Celia Aparecida Ferreira Carta2;

Resumo

Introdução:Os fluxos migratórios estão cada vez mais presentes em nível global, tornando-se um dos maiores desafios sociais dos últimos anos. Os acontecimentos ao redor do mundo revelam que a tendência é que os movimentos de deslocamento sejam cada vez mais recorrentes, tornando a discussão sobre o tema obrigatória. Enquanto muros permanecem erguidos em diversos países, o Brasil é um dos poucos que tem facilitado à entrada de imigrantes e refugiados. O choque cultural proveniente do deslocamento de pessoas atinge tanto a população acolhedora, ou aqueles que residem no local que recebe sujeitos de diferentes nacionalidades, como os ingressantes no país. Na imigração ou refúgio, é comum surgir o sentimento de luto, porque a ausência das próprias origens é simbolizada como uma perda. Diversos são os fatores que contribuem para com a angústia vivenciada, dentre eles a aquisição de um novo idioma que não traduz aquilo que o sujeito vivencia.

Objetivo:O objetivo geral do trabalho é relacionar o conceito de linguagem na abordagem da psicanálise com o sofrimento psíquico de pessoas em situação de refúgio que vivem no Brasil.

Metodologia:Análise de conteúdo de relatos de pessoas em situação de refúgio, adquiridos por meio de jornais online e/ou impressos. O desenvolvimento do projeto iniciou-se em julho de 2018 e se deu primeiramente com a busca por notícias que tratavam da questão do refúgio no Brasil. Buscou-se por “Refugiados”, “Haitianos”, “Senegaleses”, “Congoleses”, “Refugiados no Brasil”, “Refugiados no Paraná”, “Políticas para refugiados no Brasil”, “Venezuelanos/Sírios no Brasil/Paraná”, “Xenofobia contra refugiados no Brasil”, “Racismo contra refugiados no Brasil”, “Acolhimento de refugiados no Brasil”, dentre outros.Após a releitura das notícias arquivadas, houve uma separação que se deu por eixos temáticos, como notícias que abordavam o tema da saudade da família; sobre a dificuldade com o novo idioma; sobre a questão da xenofobia, etc.

Resultados:Foram encontradas 74 reportagens que abordavam o tema de interesse, o refúgio no Brasil, sobre diversos temas. Apenas 8 notícias atenderam os critérios estabelecidos nos objetivos específicos da pesquisa, o de conter no corpo do texto ao menos 1 citação direta de pessoas em situação de refúgio que vivem no Brasil.Constatou-se nas citações diretas presentes, nas 8 reportagens selecionadas, que as principais causas que parecem estar atreladas ao sofrimento psíquico das pessoas, em situação de refúgio, referem-se a questão do idioma, isto é, não saber falar português, da xenofobia e da saudade da família. Haitianos e congoleses relataram que tiveram dificuldade em encontrar o primeiro emprego no Brasil. Foi a partir da criação de setores de apoio que ofereciam capacitação dessa população que conseguiram conquistar o primeiro emprego.

Conclusões:Observa-se que, se de um lado temos políticas de acolhimento para refugiados que vivem no Brasil, de outro, situações marcadas pela hostilidade, geram sofrimento tanto para as pessoas em situação de refúgio, quanto para os brasileiros. O estrangeiro quando se encontra em um novo local necessita abrir mão das próprias tradições para ingressar em um mundo desconhecido, podendo vivenciar uma experiência de luto e que dificulta esse processo de enfrentamento, tornando-o vulnerável.

Palavras-chave: Fluxos migratórios. Sofrimento psíquico. Refugiados.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador