COMO OS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO INTERPRETAM E VIVENCIAM AS SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIA NO ESPAÇO ESCOLAR

SARAIVA, Priscila1; LIMA, Cezar Bueno de2;

Resumo

Introdução:O relatório final discute as múltiplas faces da violência nos colégios estaduais selecionados para a realização da pesquisa-acão, localizados nas Regionais do Município de Curitiba-PR. O desafio proposto é compreender como tais situações afetam e interferem diretamente na vida desses estudantes das escolas públicas.

Objetivo:O objetivo é fazer uma reflexão das vivências dos estudantes diante da reprodução estrutural das múltiplas faces da violência entres os jovens estudantes de escolas públicas de ensino médio.

Metodologia:Ao trazer os dados, assimilar e entendê-los utilizou-se da pesquisa bibliográfica e documental, em especial, pesquisas junto à plataforma Qedu, acrescidas de outros sites citados ao longo do trabalho. Resultados: A pesquisa bibliográfica e documental realizada apresenta e discute a redução das taxas de alunos matriculados da escola do bairro do Sitio Cercado, do 1° ao 3° ano. O processo de evasão escolar pode estar associado à ocorrência de violências externas à escola, incluindo a situação socioeconômica dos estudantes oriundos das classes menos favorecidas que precisam abandonar a escola para trabalhar e ajudar no cumprimento de renda de suas famílias. Dentre os adolescentes em situação de pobreza e vulnerabilidade social, muitos dependem da renda do bolsa-família e alguns encontram no tráfico de drogas uma possibilidade, ainda que ilusória, de mobilidade social ascendente.

Resultados:A pesquisa bibliográfica e documental realizada apresenta e discute a redução das taxas de alunos matriculados da escola do bairro do Sitio Cercado, do 1° ao 3° ano. O processo de evasão escolar pode estar associado à ocorrência de violências externas à escola, incluindo a situação socioeconômica dos estudantes oriundos das classes menos favorecidas que precisam abandonar a escola para trabalhar e ajudar no cumprimento de renda de suas famílias. Dentre os adolescentes em situação de pobreza e vulnerabilidade social, muitos dependem da renda do bolsa-família e alguns encontram no tráfico de drogas uma possiblidade, ainda que ilusória, de mobilidade social ascendente.

Conclusões:É importante salientar a importância de conhecer como os próprios jovens avaliam o significado da violência dentro e fora da escola e, ainda, propor alternativas acadêmico-institucional socialmente inclusivas e antipunitivas de mediação e prevenção pacífica dos conflitos no espaço escolar. Nessa direção, as práticas restaurativas, aliada ao exercício da democracia deliberativa e da promoção dos direitos humanos poderiam contribuir, não apenas para a contenção da violência e da evasão escolar, mas a melhoria da relação ensino-aprendizagem nas escolas.

Palavras-chave: Violência. Ensino Médio. Evasão escolar. Práticas Restaurativas. Jovens estudantes.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador