ANÁLISE DE ASSOCIAÇÃO GENÉTICA DA HIPOMINERALIZAÇÃO MOLAR- INCISIVO – GENE CDLN

PEGORETTI, Karen Cristina1; WERNECK, Renata Iani2;

Resumo

Introdução:A hipomineralização molar-incisivo (HMI) consiste em uma patologia de origem sistêmica, de etiologia desconhecida, caracterizada por um defeito qualitativo na mineralização do esmalte dentário, podendo atingir de um até os quatro primeiros molares permanentes. A literatura descreve que a hipomineralização também pode ocorrer em outros dentes, como molares decíduos. O mecanismo de desenvolvimento da HMI permanece relativamente desconhecido e a sua etiologia ainda não foi totalmente definida. Alguns estudos indicam como possíveis causas o comprometimento da saúde materna durante o último trimestre de gestação, como a infecção urinária e diabete, baixo peso ao nascer e prematuridade. A HMI consiste numa alteração na estrutura do esmalte dental ocasionada por fatores ambientais e ou genéticos que podem influenciar no período de calcificação do esmalte, alterando sua qualidade.

Objetivo:O objetivo geral desta pesquisa foi a aplicação de uma estratégia de análise de associação caso-controle para investigar, em uma população sul-brasileira, a participação de polimorfismos do gene CLDN16 na suscetibilidade à HMI.

Metodologia:O delineamento desta pesquisa foi caracterizado como um estudo de associação genética caso-controle. A amostra populacional estudada é constituída por crianças recrutadas nas escolas Municipais da cidade de Curitiba, entre 7 e 10 anos. A amostra foi dividida entre dois grupos: caso (com HMI) e controle (sem HMI). O grupo controle desta pesquisa é composto por crianças com ausência de lesão cariosa a fim de que não haja um fator confundidor em relação a função do gene selecionado, uma vez que estudos já demonstraram que alguns genes interferem na formação do esmalte e estão relacionados com o desenvolvimento da doença cárie. Para o exame clínico, os dentes foram secos com o auxílio de uma gaze. Para afastar a bochecha o pesquisador utilizou um palito de madeira e para análise, lanternas e espelhos intra orais. As genotipagens foram realizadas através do sistema de discriminação alélica por meio da técnica de PCR em tempo real. A análise de associação foi utilizada para investigar, com maior precisão, as variáveis genéticas que podem estar relacionadas com o desenvolvimento da HMI.

Resultados:Não houve significância em relação ao marcador específico (rs 17445040), assim como para os alelos do marcador.

Conclusões:O estudo não evidenciou uma associação genética com HMI. Entretanto, foi testado apenas um rs deste gene. Futuramente é necessário observar os diferentes marcadores deste gene. Esta proteína provavlemnte possui influencia na formação do dente. Além disso, há necessidade de estabelecer um acompanhamento odontológico específico para pacientes com maior suscpetibilidade as alterações bucais.

Palavras-chave:Defeitos no esmalte. Hipomineralização Molar Incisivo. Etiologia defeitos de esmalte dentário. Hipomineralização dentária. Prevalência Hipomineralização Molar Incisivo

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador