AVALIAÇÃO DO EFEITO DE DROGAS ANTI-INFLAMATÓRIAS SOBRE ALTERAÇÕES LOCAIS NA PLEURISIA INDUZIDA POR CARRAGENINA EM RATOS

LEWANDOWSKI, Kenzo Takehara1; GONÇALVES, Giovanna Zokner 3; ROCHA, Daniel Carlos Coatti 3; BECHARA, Gervasio Henrique2;

Resumo

Introdução:O processo inflamatório é um método de defesa do organismo amplamente estudado devido a sua frequência e importante papel em diversas doenças, sendo então uma base de estudos para o melhor entendimento de enfermidades. Esta reação fisiológica pode ser desencadeada por infecções, reações autoimunes, lesões ou necrose tecidual e eventuais corpos estranhos, assim as drogas anti-inflamatórias buscam a redução dos sinais subsequentes deste processo.

Objetivo:O objetivo desta pesquisa foi estabelecer a correlação de parâmetros característicos da inflamação, em diferentes tratamentos com fármacos anti-inflamatórios.

Metodologia:O estudo foi conduzido a partir da indução experimental de pleurisia induzida por carragenina em ratos pré-tratados com drogas anti-inflamatórias esteroidais (dexametasona) e não esteroidais (meloxican e benoxaprofen), inibidoras respectivamente da fosfolipase A2, ciclooxigenase (COx) e lipoxigenase (LOx) do ácido araquidônico. Para tanto, os animais foram devidamente tratados e anestesiados, seguido da aplicação da carragenina intrapleuralmente a partir de um pequeno corte na região torácica direita, e por fim eutanasiados adequadamente após 4 horas para a coleta de sangue, exsudato e órgãos. Para coleta primeiramente foi feito o acesso da cavidade torácica, com a extração do plastrão costal e feita a retirada do líquido pleural pela lavagem da cavidade com 1 mL de salina tamponada. Após a coleta da efusão e sangue para análise, foram retirados o diafragma, e fragmentos do coração, pulmão e plastrão costal para histopatologia.

Resultados:Foram avaliados no exsudato pleural o volume coletado e os números total e diferencial de células inflamatórias, com diferenciação em polimorfonucleares, mononucleares e mastócitos. Os dados obtidos foram expressos em médias de cada grupo, utilizando o teste ANOVA para a comparação estatística entre eles. Entre os tratamentos, ratos pré-tratados com dexametasona foram os que apresentaram menor volume de exsudato. Já na contagem de células do infiltrado inflamatório, as médias encontradas foram estatisticamente iguais, embora ratos pré-tratados com meloxicam e dexametasona apresentaram uma maior redução da migração de células para a cavidade pleural. Foi também relacionado a quantidade dos diferentes tipos de células inflamatórias com o estágio da inflamação induzida (aguda). Não houve variação apreciável entre os grupos quanto ao leucograma.

Conclusões:Os resultados deste experimento contribuíram para o melhor entendimento sobre o processo como um todo.

Palavras-chave:Carragenina. Pleurisia. Dexametasona. Meloxicam. Benoxaprofen.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador