EFEITO DISPOSIÇÃO E PONTOS DE REFERÊNCIA: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL EM FINANÇAS

CRUZ, Eryk Ribeiro1; CRUZ, Eryk Ribeiro 3; JR., Newton C. A. da Costa 3; JUNIOR, Newton Carneiro Affonso da Costa2;

Resumo

Introdução:O efeito disposição é a tendência de vender ativos vencedores rapidamente e manter ativos perdedores por um longo período de tempo. Aqui, denomina-se vencedor ou ganhador aos ativos que foram vendidos, respectivamente, acima ou abaixo de um preço de referência. Até então, o preço de referência mais comumente utilizado na literatura da área de finanças comportamentais é o preço de compra do ativo. No entanto, neste trabalho, também utilizamos o preço do último período de negociação do ativo e do preço máximo do ativo desde sua compra. O motivo de tal escolha se deve ao fato de que talvez esses pontos de referência possam, de certa forma, ter algum impacto sobre a tomada de decisão dos indivíduos. O presente trabalho estimou este efeito para vários pontos de referência – preço de compra, último preço e preço máximo do ativo – usando o método proposto por Weber e Camerer (1998), que é facilmente implementável em Excel.

Objetivo:O presente trabalho, na área de finanças comportamentais, busca responder três questões: se existe efeito disposição quando o ponto de referência é o preço de compra; se outros pontos de referência têm relação com este efeito; e se as características demográficas da população ou o ambiente em que foram realizados os experimentos possui alguma influência no efeito. Mas de maneira geral, este projeto buscou reestimar o efeito disposição para outros pontos de referência.

Metodologia:Observa-se que nesta pesquisa, os dados experimentais a serem utilizados pertencem à uma base de dados, já coletadas, de diversas pesquisas já realizadas pelo proponente. O software utilizado para a coleta dos dados nas sessões experimentais foi o ExpEcon, que está descrito no projeto.

Resultados:Verificou-se que os participantes sofreram, em média, do efeito disposição quando o ponto de referência foi o preço de compra. Este resultado é semelhante a de outras pesquisas já realizadas internacionalmente, tanto com dados reais como com dados obtidos em experimentos de laboratório, como o presente estudo. No entanto, quando o ponto de referência mudou, o efeito disposição passou a ser negativo em vários casos.

Conclusões:Conseguimos demonstrar que quando consideramos o preço médio de compra, todos ou quase todos os indivíduos tendem a apresentar um coeficiente disposição; também foi possível notar a diferença do coeficiente de disposição com relação aos gêneros; além disso, conseguimos mostrar que os homens tendem a ter um coeficiente de disposição maior que o das mulheres por alguns motivos; conseguimos construir uma hipótese que pode ser explorada por outros pesquisadores da área ou mesmo em pesquisas futuras; demonstramos a importância do efeito disposição; enfim, conseguimos atingir resultados significativos e que possuem embasamento consistente com pesquisas internacionais.Acredito que além dos resultados atingidos, o mais importante é entender a importância de tudo o que foi desenvolvido. Por exemplo, se fosse possível diminuir o efeito disposição do investidor, poder-se-ia diminuir o spread entre as rentabilidades do investidor institucional e do investidor individual (pessoa física) em seus investimentos. E, portanto, os escassos recursos disponíveis seriam melhor alocados na economia do país.

Palavras-chave: Efeito disposição. Pontos de referência. Teoria do prospecto. Método de Weber e Camerer.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador