EFEITOS DA SOMATOTROFINA BOVINA RECOMBINANTE (BST) SOBRE A DINÂMICA FOLICULAR OVARIANA DE VACAS BOS TAURUS INDICUS PARA A SINCRONIZAÇÃO DO ESTRO E DA OVULAÇÃO, COM VISTAS A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO.

CUSTÓDIO, Kassia Figueiró1; KOZICKI, Luiz Ernandes2;

Resumo

Introdução:Introdução: O Brasil tornou-se referência na produção de bovinos, com aproximadamente 218 milhões de cabeças. Para o sucesso na produção reprodutiva faz-se necessário o aumento dos indicadores reprodutivos. Uma das ferramentas utilizadas para aumentar a produtividade encontra-se na inseminação artificial em tempo fixo (IATF), tendo como foco principal a sincronização do estro e da ovulação. Neste contexto a somatotrofina recombinante bovina (bST) tem sido referenciada na estratégia para aumentar o número de folículos ovarianos a serem recrutados, visando o incremento dos índices da IATF. A bST tem potencial de não só aumentar a quantidade de folículos ovarianos recrutados na onda, como também de atuar sobre o maior folículo daquela onda, aumentando seu dia^metro, ovulando-o e originando maior corpo luteo, maior produção de progesterona e consequentemente maior taxa de prenhez final.

Objetivo:Objetivos: O objetivo do presente estudo foi avaliar o uso da somatotrofina recombinante bovina (bST) no dia zero do protocolo de inseminação artificial em tempo fixo (IATF), associado a` progesterona e ao benzoato de estradiol, visando estimular o crescimento folicular (quantidade e qualidade) ovariano em fêmeas Bos taurus indicus.

Metodologia:Materiais e Método: O estudo foi executado em fazendas do sudoeste do Paraná, no município de Francisco Beltrão na estação reprodutiva de 2018/2019. O emprego dos animais esteve em conformidade com as Normas Internacionais. Foram selecionados 44 animais, que foram distribuídos em dois grupos: Grupo controle (GC; n=20) foi submetido ao seguinte protocolo de IATF: dia zero (d0) inserção de dispositivo intravaginal com progesterona (P4, 1,9 g) + BE 1mg, IM), d8 remoção da P4 + prostaglandina F2alfa (PGF2alfa; 150mg IM) + cipionato de estradiol (CP; 0,5mg IM), d10 (IATF); e o grupo somatotrofina bovina recombinante (GbST; n=44), que recebeu no d0 (P4 + BE + bST 250 mg SC), em d8 remoção da P4 + CP + PGF2alfa; em d10 executou-se a IATF. Em ambos os grupos o diagnóstico de gestação foi realizado no d45 e no d90. Em d90 touros foram introduzidos nas vacas para o repasse. No estudo foram realizados igualmente exames de ultrassonografia, via transretal em todos os dias do protocolo para mensuração dos foliculos e nos dias 45 e 90 para o diagnóstico de gestação.

Resultados:Resultados: As fêmeas do grupo controle mostraram a média de dia^metro folicular de 9,8mm no d0, 11,2mm no d8 e 12,4mm no d10. As vacas do GbST demonstraram a média folicular de 9,6 no d0, 9,5 no d8 e 11,0 no d10. A taxa de prenhez (pelo teste do Qui-Quadrado) nos grupos foi de 25% e 30% respectivamente para GC e GbST, resultando um valor de P=0,71, demonstrando que não há correlação entre o aumento da taxa de prenhez no grupo de vacas que receberam a somatotrofina bovina e o grupo controle.

Conclusões:Considerações Finais: A hipótese de que o uso da bST aumentaria a taxa de prenhez com seu emprego no dia 0 dos protocolos de IATF não foi comprovada. O protocolo com bST não apresentou melhora na dina^mica folicular

Palavras-chave:bST. Folículo dominante. Taxa de prenhez.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador