INCIDÊNCIA DE CORPOS ESTRANHOS EM PRÉ-ESTÔMAGOS DE BOVINOS EM FRIGORÍFICO

LOPEZ, Bruna Broch1; CARVALHO, Maria Luisa de Andrade 3; OLLHOFF, Rudiger Daniel2;

Resumo

Introdução:A ingestão de variados corpos estranhos (CE) por bovinos é frequente e, no caso de corpos estranhos metálicos (CEM) pontiagudos pode perfurar a parede do retículo causando uma peritonite e em complicações pericardite, pneumonia e septicemia, com consequente perda da produção e morte.

Objetivo:Objetivou-se recolher, identificar e classificar CE de pré-estômagos de grandes ruminantes abatidos em frigorífico, verificando se causavam lesões.

Metodologia:Os CE encontrados em retículo-rúmen foram classificados segundo o tipo, o seu tamanho e a sua periculosidade. A gravidade de lesões foi avaliada em uma escala de 3 pontos, conforme extensão, quantidade e tipo de órgãos envolvidos. Os dados foram tabelados em frequência relativa e absoluta.

Resultados:Avaliaram-se 3543 conjuntos retículo-rúmen de bovinos e bubalinos abatidos em um frigorífico com inspeção federal. Foram avaliados 3391 bovinos e 152 bubalinos, assim como, 339 fêmeas e 3204 machos. Em 13,856% dos casos foi encontrado algum corpo estranho. Nenhum CE estava inserido na parede dos pré-estômagos. Cinco lesões nas peças frigoríficas foram observadas e classificadas, localizadas em rúmen ou retículo. Um total de 454 CE e 38 CEM foi descrito. Ao menos 15 CEM foram considerados de alta periculosidade em sua maioria pregos e arames. O CE mais comum encontrado foram pedras com 85,36% dos achados totais. Os demais CE, representaram 6,91% dos achados totais, além disso, o item plástico constituiu, aproximadamente 3,05% dos achados totais.

Conclusões:Verifica-se pelos CE encontrados que os bovinos possuem fácil acesso a sacos plásticos, facilmente carreados pelo vento e presentes no ambiente dos animais, por exemplo como lonas para cobertura de silagens. Apesar do pequeno número de lesões encontradas, provavelmente decorrente do alto padrão de saúde dos animais abatidos neste frigorífico, sugere-se como medidas profiláticas a aplicação de imãs intraruminais, a limpeza e destinação correta dada ao lixo gerado nas propriedades e a prevenção de possíveis aberrações de apetite através do uso de dietas balanceadas, mineralização correta e cuidados com a saúde em geral dos animais. Estudos como o presente devem ser realizados periodicamente e podem servir como indicador aos pecuaristas sobre a atenção dedicada ao manejo dos bovinos e bubalinos.

Palavras-chave:Bovinos. Bubalinos. Corpos estranhos. Retículo-rúmen. Post-mortem.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador