AVALIAÇÃO DA RELAÇÃO MOLAR ÂNTERO-POSTERIOR, ATRAVÉS DO ÍNDICE DAI OBSERVANDO IDADE, SEXO E GRUPOS ÉTNICOS.

PENTEADO, Mikael André Schäffer1; FILHO, Odilon Guariza2;

Resumo

Introdução:As maloclusões são problemas de saúde pública no âmbito nacional e por isso, há a necessidade de um método avaliativo para a determinação de fatores que influenciam no grau de severidade da mordida de um indivíduo.

Objetivo:Objetiva-se elucidar a prevalência da má oclusão e a necessidade de intervenção, pois o mesmo pode ser bastante útil em encaminhamentos e triagens ao tratamento ortodôntico.

Metodologia:Dentre diversos coeficientes que estão diretamente ligados à esse problema, evidencia-se a questão do sexo, faixa etária (12 anos e 15 a 19 anos) e raça. Esses elementos são peças chaves para entendermos a demanda da necessidade e procura pelo tratamento ortodôntico no Brasil.

Resultados:Este estudo, de natureza quanti qualitativa, que possui um delineamento observacional, transversal, analítico, utilizando o banco de dados secundário da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal (SBBrasil, 2010), realizada pelo Ministério da Saúde. Tais dados são de domínio público e têm livre acesso por meio da página eletrônica disponibilizada no link:http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/pesquisa_saude_bucal; conforme suas características de coleta, distribuição amostral e ponderação de dados, disponíveis no memorial da pesquisa. O diagnóstico da maloclusão foi estabelecido pelo Índice DAI8 preconizado pela OMS9 considerando-se três grandes dimensões a serem avaliadas: a dentição, o espaço e a oclusão propriamente dita. Este índice oclusal é constituído por dez componentes, e por meio de procedimentos estatísticos de análise de regressão, encontrou-se para cada um deles um coeficiente (peso) (Figura 1) a partir da equação representada na nota de rodapé da Figura 1, à qual foi adicionada ainda uma constante, gerando o escore final para o DAI, categorizado em quatro graus de acordo com os níveis de severidade da maloclusão e de necessidade do tratamento ortodôntico. (Figura 2). No presente estudo, foi eleita apenas a Relação Molar Anteroposterior para estudo, pois está diretamente ligada com a proposta da disciplina da Ortodontia.

Conclusões:Após a análise, conclui-se que os indivíduos de 12 anos, sendo mais mulheres do que homens, e das raças branca, preta e indígena possuem oclusão normal. Em relação aos que possuem algum tipo de maloclusão, prevaleceu os indivíduos de 15 a 19 anos, mais homens do que mulheres, da raça parda. A maioria dos adolescentes e jovens brasileiros das faixas etárias estudadas possuem oclusão normal, levando em consideração que esses não necessitam de interceptação ortodôntica.

Palavras-chave:Maloclusão. Raça. Sexo. Ortodontia

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador