MORFOMETRIA DA PLICA FLEXORA INTERDIGITAL DO MEMBRO PÉLVICO EM NOVILHAS E VACAS

DUNKEL, Karen Fernandes1; NASCIMENTO, Ligia Valeria 3; OLIVEIRA, Bruno Inácio Corrêa de 3; LOPEZ, Bruna Broch 3; WEBER, Saulo Henrique 3; OLLHOFF, Rudiger Daniel2;

Resumo

Introdução:A pele da transição dos pelos com a pele glabra entre as unhas dos membros pélvicos no bovino denominada de plica flexora é praticamente desconhecida, pois os estudos morfométricos tem se concentrado no estojo córneo. Esta informação, no entanto, é importante pela grande predisposição a instalação de dermatite digital (DDB) e dermatite interdigital bovinas (DIB). A hipótese é que conforme o animal cresce, transformações locais relevantes ocorrem que poderiam auxiliar na explicação da etiopatogênese destas enfermidades

Objetivo:Objetivou-se uma descrição macromorfológica das modificações ocorridas na plica em novilhas antes de entrarem em produção e após o início da vida produtiva, através da inspeção e mensuração da prega de pele (plica) localizada ao final do sulco interdigital.

Metodologia:Por conveniência somente os dígitos dos membros pélvicos foram avaliados por serem os principais membros afetados pela dermatite digital. A mensuração foi realizada por meio de uma régua adaptada. A largura entre os bulbos, assim como a profundidade da plica foram medidos com auxílio de uma régua metálica própria e de fácil limpeza. A plica foi aberta manualmente com observação do acúmulo de sujeira, registrando em um guia de campo o escore de sujeira variando de 0 a 3, do mais limpo ao mais sujo. Os dados foram analisados através de ANOVA e teste de Tukey com significância de 0,05 e apresentados na forma de tabelas.

Resultados:Foram avaliadas 23 novilhas e vacas primíparas da raça Holandesa, clinicamente saudáveis, da Fazenda Experimental Gralha Azul da Pontificia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) no período de abril a junho de 2019. As mensurações obtidas demonstram que tanto a profundidade quanto a largura da plica aumentam com a idade e com a mudança de categoria animal (novilha para vaca primípara (P<0,05). O escore de sujeira aparentemente seguiu um padrão aleatório, possivelmente por conta das instalações, onde no momento da contenção havia a possibilidade de falsear o resultado pois o animal poderia facilmente pisar em barro. As mudanças observadas não são per se suficientes para explicar a preferência da instalação da DDB nesta região anatômica.

Conclusões:Foi possível descrever as mudanças da região anatômica da plica flexora interdigital de novilhas e vacas primíparas leiteiras. A região aumenta com o envelhecimento dos animais, tanto na profundidade como na largura, acentuando-se na fase pós-parto. As mudanças observadas ainda são insuficientes para explicar fenômenos como a instalação da dermatite digital bovina, necessitando-se um aprofundamento do estudo desta região anatômica.

Palavras-chave:Casco. bovino. Anatomia veterinária

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador