A EXISTÊNCIA DO HOMEM PERANTE A MULTIPLICIDADE DE POSSIBILIDADES EM SÖREN KIERKEGAARD

TREMEA, Giovanni Henrique1; BORGES, Valdir2;

Resumo

Introdução:O pensamento de Kierkegaard, filósofo dinamarquês que viveu entre 1812 e 1855, parece ser oportuno para os dias atuais. Nesta pesquisa busca-se expor como Kierkegaard elabora a noção de que a existência reside em uma multiplicidade de possibilidades. Ora, o homem é um ser inacabado que se encontra diante de uma variedade de possíveis escolhas para que ele se construa. A reflexão acerca do existir no mundo é própria somente desse homem: é ele que, sabendo daquilo que é possível para si, exige ser o que escolhe, em um ato de liberdade. É único ao ser humano o ato de meditar as ambições, desejar uma realidade futura e partir em busca da edificação destas possibilidades. Deste modo, tem-se como problemática principal deste trabalho, apresentar a noção de existência em Kierkegaard, sendo ela de fundamental importância para a compreensão da obra do autor.

Objetivo:Tem-se como objetivo geral buscar, no seio do conjunto da obra de Kierkegaard, o porquê de o filósofo entender a existência humana na multiplicidade de possibilidades. Os objetivos específicos, por sua vez, consistem primeiramente em fazer uma ponte entre o conceito de existência e o conceito de angústia e, posteriormente, ressignificá-los dentro da realidade contemporânea, analisando sentimentos pertinentes à temática, como o tédio, o desassossego, a dificuldade de escolhas e o vazio existencial.

Metodologia:O método utilizado é qualitativo documental, isto é, uma análise de documentos que dizem respeito à obra kierkegaardiana, utilizando, para tanto, uma seleção de comentadores, como Stewart, Farago e Regina, além das próprias obras de Kierkegaard.

Resultados:Pode-se, a partir das reflexões kierkegaardianas, entender o sentimento angustiado, desesperado e inquieto do homem hodierno. A sociedade de consumo, as mídias sociais, as múltiplas opções de carreira, são fatores que, entre outros, colocam o homem contemporâneo diante de muitas opções de escolha, que exigem dele uma resposta.

Conclusões:Essa pesquisa concluiu que “o existir, para o autor dinamarquês, é ter presente a finitude humana diante da infinitude divina e da multiplicidade de possibilidades da vida. Sem o encontro com o seu ser finito, é impossível transcender para meditar a infinitude divina, o que causa o desespero humano” (cf. p.11).

Palavras-chave: Kierkegaard. Existencialismo. Angústia. Desespero.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador