PELÍCULAS ASSOCIADAS A TRICHODERMA NO CONTROLE PÓS-COLHEITA DE ANTRACNOSE EM MAMÃO E BANANA

RUPOLO, Andressa1; COTTET, Karoline Gabriela 3; MASCARO, Marcia de Holanda Nozaki2;

Resumo

Introdução:A fruticultura está presente em todo o mundo crescendo rapidamente no Brasil, contribuindo positivamente nas áreas de desenvolvimento econômico e social. No entanto, há grandes entraves na produção de frutas no Brasil, tais como o manejo inadequado da cultura, problemas na colheita, armazenamento e transporte, além do ataque de pragas e doenças em pré e pós-colheita, com perdas que podem chegar a 40%, dependendo da cultura. O interesse pelo desenvolvimento de biofilmes comestíveis ou degradáveis biologicamente, se deve principalmente pela demanda por alimentos de alta qualidade e preocupações ambientais.

Objetivo:Avaliar o potencial do uso de películas de diferentes materiais associados a Trichoderma, no controle da antracnose e conservação pós-colheita de mamão e banana.

Metodologia:A implantação e condução dos ensaios foram desenvolvidos no Laboratório da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, campus Toledo. O delineamento adotado foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos de conservação (biofilmes) e quatro repetições de cada. Os tratamentos foram 1) controle (sem biofilme); 2) biofilme de gelatina;3) biofilme de quitosana; 4) biofilme de fécula de mandioca e 5) biofilme de amido de milho. E após cada tratamentos (exceto a testemunha), foi borrifado uma suspensão de conídios de Trichoderma. Após os frutos foram armazenados em temperatura ambiente e refrigerado. As avaliações se deram de forma visual a cada dois dias, e após sete dias foram realizados teste para determinar o pH, º BRIX e pesagem para aferir a perda de massa, as avaliações se deram aos 7, 14, 21 e 28 dias.

Resultados:Os frutos em ambiente refrigerado apresentaram valores de pH variando de 4,10 a 5,44 durante o período de 7, 14 a 21 dias. Enquanto para ºBrix, os valores variaram de 3,25 a 11,77. Os tratamentos 1 a 4 apresentaram melhor percepção sensorial quando comparado ao tratamento 5 que diferiu significativamente. E teve menor aceitação pelos consumidores. Considerando a perda de massa de frutos submetidos a refrigeração e temperatura ambiente, não foi possível observar diferença estatística entre os diferentes tratamentos durante os diferentes períodos de avaliação. Os frutos de mamão que foram armazenados em temperatura ambiente, estavam com grande desenvolvimento de antracnose. Observando de forma visual, o tratamento com maior infestação da doença foi a testemunha, a qual não recebeu revestimento nenhum de películas.

Conclusões:Comprovou-se que a utilização de películas associadas com Trichoderma auxilia no controle do fungo da antracnose, porém quando o fruto é armazenado em ambiente refrigerando os resultados são ainda melhores.

Palavras-chave:Bioproteção. Colletotrichum spp. Musa spp. Carica papaya

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador