ESTUDO DE ASSOCIAÇÃO ENTRE INFLAMAÇÃO E DOENÇA RENAL CRÔNICA EM PACIENTES ATENDIDOS PELO AMBULATÓRIO DE NEFROLOGIA DO SUS DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE CURITIBA

BUENO, Brunna1; KAMEI, André 3; FRANCO, Joceline2;

Resumo

Introdução:A DRC é um processo inflamatório contra suas próprias células por um período maior que três meses podendo ser evidenciada por marcadores de lesão renal, incluindo alterações sanguíneas, urinárias, ou ainda, exames de imagem. A proposta é relacionar a presença de marcadores inflamatórios em doentes renais crônicos, já que a correlação entre a inflamação e a DRC pode trazer informações essenciais para o desenvolvimento de práticas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos pacientes acometidos por essa doença.

Objetivo:Conhecer e analisar a relação entre perfil de inflamação, através de análise de PCR, e Doença Renal Crônica de uma população representativa de pacientes atendidos pelo ambulatório de nefrologia do SUS de um Hospital Universitário de Curitiba/PR.

Metodologia:Foram realizadas entrevista e coleta de sangue de pacientes DRC durante o período de setembro de 2017 a maio de 2019. Todos os pacientes que não possuíam critérios de exclusão (analfabetismo, déficit visual, déficit auditivo) ou falta de dados no prontuário, foram incluídos na análise. As amostras foram centrifugadas e armazenadas em freezer -80º até a análise dos níveis de PCR que foram feitas no Laboratório Diagnósticos do Brasil.

Resultados:Foram analisados 158 pacientes, no entanto, 72 tiveram avaliação da PCR. O valor médio de PCR foi 5,89 mg/L, com mediana 2,69 mg/L, valor mínimo 0,19 mg/L e máximo 73,91 mg/L. A PCR não teve correlação significativa com nenhum exame físico avaliado no presente trabalho. Estudos apontam que os marcadores inflamatórios são significativamente elevados e associados à gravidade da DRC. Entretanto, o nível sérico de PCR não é independentemente associado com DRC, por esse motivo, avaliar apenas esse parâmetro não é suficiente para uma resposta concreta, por esse motivo os demais marcadores devem ser testados, além de aumentar a população do presente estudo.

Conclusões:Nenhuma das correlações obteve significância estatística entre valores de PCR e os exames analisados. Para que haja resultados significativos, há necessidade de maior quantidade de pacientes para uma melhor amostragem e para que outros marcadores inflamatórios possam ser analisados.

Palavras-chave:Insuficiência Renal Crônica. Taxa de Filtração Glomerular. Inflamação. PCR. Marcadores inflamatórios

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador