PERFIS ORGANIZACIONAIS E CATEGORIAS MOTIVACIONAIS NA ADOÇÃO DE COOPERAÇÃO EMPRESARIAL COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA.

LIMA, Bianca Poloni de Souza1; BARBOSA, Solange de Lima2;

Resumo

Introdução:As transformações socioeconômicas das últimas décadas revelaram a ineficiência de modelos de gestão baseados em estruturas pouco flexíveis e pouco colaborativas, dando espaço para uma nova forma de competição, que evidencia a necessidade de estratégias competitivas baseadas em parcerias com fornecedores, clientes e concorrentes para desenvolver as competências necessárias para atender a mercados cada vez mais exigentes e voláteis.

Objetivo:Diante da alta relevância do tema, esta pesquisa teve como propósito compreender melhor o processo de cooperação empresarial e identificar se existem perfis organizacionais, em termos de características e motivações para a colaboração, que conduzem a resultados mais consistentes. Teve como objetivo geral identificar e caracterizar perfis organizacionais (tamanho, setor, perfil gerencial, estágio de maturidade do negócio, posicionamento competitivo) que predispõem mais para a adoção da cooperação como estratégia competitiva e as suas diferentes motivações para essa escolha. E como objetivos específicos identificar na literatura e em amostras setoriais os diferentes perfis de organizações que adotam a cooperação como estratégia competitiva em termos de características empresariais, setoriais e gerenciais e identificar na literatura e em amostras setoriais as diferentes motivações para a adoção da cooperação como estratégia competitiva, categorizando e comparando achados, no intuito de encontrar padrões e construir arquétipos.

Metodologia:Para alcançar esse objetivo, foi promovida revisão de literatura e pesquisa de campo com 55 empresas de diferentes portes, tipos empresariais e segmentos de negócios, entre os meses de abril e maio de 2019, por meio de um questionário, via @Qualtrics, analisados por técnicas de análise de frequência, correlação de Spearman e análise de cluster, usando o IBM-SPSS. Para análise da coleta bibliográfica utilizou-se a técnica de análise de conteúdo.

Resultados:Os resultados apontaram relações interessantes entre o perfil empresarial e as motivações e predisposições para cooperação, mas não foi possível identificar os arquétipos. Foi constatado que a maioria das empresas entrevistadas já cooperou ou pretende fazê-lo nos próximos três anos e que a qualidade da experiência anterior está correlacionada com o interesse em repetir a ação. Entre as principais motivações para cooperar, as empresas dessa amostra apontaram que estão melhorar ou ampliar a capacidade produtiva ou operacional, reduzir custos, desenvolver novas competências e diferenciais competitivos, entender melhor o mercado, acessar mais clientes, treinar e desenvolver colaboradores, investir em novos processos e inovações, promover a ampliação de mercado e trocar experiências para lidar com a ameaça de novos concorrentes. Outros achados importantes sobre a apreciação das empresas sobre a cooperação, dificuldades para fazê-lo e intenções quanto à realização de novas cooperações também foram encontrados.

Conclusões:O resultado da pesquisa, embora pautado em amostra muito pequena, trouxe contribuições importantes para corroborar os achados de outros pesquisadores acerca das motivações e seu impacto sobre as intenções e ações para cooperar. Contudo, as limitações observadas sugerem que sejam feitos novos estudos com amostras maiores ou em grupos empresariais específicos para obter resultados mais consistentes e permitir a identificação de perfis e arquétipos.

Palavras-chave: Cooperação. Competição. Motivação. Cooperação empresarial. Perfil organizacional

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador