PREVENÇÃO E MITIGAÇÃO DE INUNDAÇÕES E ALAGAMENTOS EM UM MUNICÍPIO PARANAENSE

IHLENFELD, Pedro Guilherme Arsego1; BERTOLINO, Alessandro2;

Resumo

Introdução:Observou-se um acelerado aumento da população nas cidades brasileiras desde a metade do século passado. Esse crescimento, quando somado a falta de planejamento urbano, é a principal causa dos problemas ligados à infraestrutura de águas, como exemplo a falta de saneamento básico e o crescente problema com inundações.

Objetivo:O objetivo geral deste projeto de iniciação cientifica, foi analisar a prevenção e mitigação deste problema em um município paranaense, no caso, Curitiba, caracterizando o sistema de drenagem da cidade escolhida e verificar as ações cabíveis.

Metodologia:Os materiais utilizados foram livros, artigos, reportagens, planos diretores e planos de drenagem urbana e, como método, o objetivo foi primeiramente recolher e obter qualquer conhecimento sobre o assunto de inundações, seja por meio de planos diretores ou de drenagem urbana de Curitiba, assim como de outras cidades do Brasil, ou por meio de literatura técnica em livros sobre o assunto ou artigos relacionados. Obtiveram-se os dados físicos, morfológicos e sociais ao longo da Bacia do Rio Belém, uma bacia totalmente urbanizada e que contempla cerca de 21% do território curitibano.

Resultados:A crescente urbanização somada com as obras de intervenção no Rio Belém ao longo dos anos aumentaram a impermeabilização do solo e, a canalização do rio na parte central da cidade fez com que a velocidade de escoamento nessa área aumentasse, reduzindo as enchentes nesse local e as transferindo para bairros mais carentes (àqueles cuja renda per capita é mais baixa). Esse fato, é agravado pela falta de conscientização da população, que acaba usando o rio para despejo de lixo e esgoto, criando barreiras e impedindo que a água escoe como deveria e transmitindo doenças.

Conclusões:No que diz respeito as medidas de prevenção e controle de cheias no meio urbano, pode-se dividi-las em dois grupos: medidas estruturais e não-estruturais. As não estruturais são aquelas que buscam reduzir os efeitos das inundações ou reduzir os prejuízos causados por elas através de medidas socioeducativas, proativas e de menor custo. Já as estruturais são as que fazem uso de obras de engenharia para evitar ou reduzir os efeitos das inundações.

Palavras-chave: Controle de Cheias. Drenagem Pluvial. Regularização de Vazões. Impermeabilização do Solo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador