AVALIAÇÃO DE NANOFIBRAS DA BAINHA DO PALMITO PUPUNHA E DA CASCA DO GRÃO DE SOJA SOBRE A SAÚDE INTESTINAL DE COELHOS EM CRESCIMENTO

BEZ, Isabela Cristina Colaço1; COSTA, Leandro Batista 3; ANDRADE, Carla de 3; MOREIRA, Lucianne Brusco 3; OLIVEIRA, Geovane Rosa de 3; SOTOMAIOR, Cristina Santos 3; ZDRADEK, Vitória Ruffatto 3; PRESTEL, Anne Lissa 3; COSTA, Leandro Batista2;

Resumo

Introdução:A nanotecnologia vem gerando importante impulso no desenvolvimento de novas pesquisas com a utilização de nanomateriais, podendo ser empregada em diversas áreas, como na nutrição animal. As nanofibras de origem natural são benéficas por serem biodegradáveis e de baixo custo. Sua utilização na alimentação animal visa encontrar uma fonte de fibra que propicie melhoras no caráter nutritivo das dietas comerciais, sem prejudicar o desempenho dos animais e que possa ser de baixo custo.

Objetivo:Comparar nanofibras oriundas da bainha do palmito pupunha e da casca do grão de soja, substituindo 50% da fibra total, e avaliar seus efeitos sobre a saúde intestinal de coelhos em crescimento, através da histologia do epitélio intestinal e histopatologia do fígado, intestinos e baço.

Metodologia:Foram utilizados 24 coelhos Nova Zelândia (Oryctolagus cuniculus) brancos, machos e fêmeas, desmamados aos 35 dias de idade e alojados em gaiolas individuais (unidade experimental), recebendo água e ração à vontade. Foram testados três dietas: a) controle (basal), b) substituição de 50% da fibra por nanofibra oriunda da casca do grão de soja e c) substituição de 50% da fibra por nanofibra oriunda da bainha do palmito pupunha. Em todos os tratamentos foram avaliados a histologia do intestino delgado (duodeno e jejuno) a histopatologia do fígado, baço e do intestino delgado. Os dados foram submetidos aos testes de adequação ao modelo linear e, posteriormente, à análise de variância, utilizando o pacote estatístico Statgraphics, adotando (P<0,05).

Resultados:Em relação à histologia, não houve diferença estatística entre os tratamentos, podendo afirmar que a adição de diferentes fontes de nanofibras não prejudica a histologia intestinal de coelhos em crescimento, mantendo sua integridade. A histopatologia demonstrou sinais de lesões como degeneração hepática, congestão, hiperplasia de polpa branca, e edema em todos os órgãos, chamando atenção para um possível desequilíbrio imunológico ou intoxicação.

Conclusões:Pode-se observar que a substituição de 50% da fibra de uma dieta comercial basal por 50% de nanofibras oriundas da casca do grão de soja ou da bainha do palmito pupunha é viável, uma vez que não houve prejuízos à integridade intestinal. No entanto, estudos devem ser realizados para identificar possíveis efeitos tóxicos das nanofibras no metabolismo animal.

Palavras-chave:Nanofibras. Nanotecnologia. Histologia. Histopatologia. Nutrição animal.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador