PRATICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO 5º E 6º. ANOS

SOUZA, Mariane Ramos de1; MARTINS, Pura Lucia Oliver2;

Resumo

Introdução:Esse estudo faz parte do projeto de origem intitulado “Interlocução da Prática Pedagógica da Educação Básica com a Universidade no processo de Formação Docente” vinculado ao grupo de Pesquisa Práxis Educativa: dimensões e processo do PPGE da PUCPR. Investiga o 5º e 6º anos do Ensino Fundamental abrangendo uma amostra do fundamental 1 e 2, e a transição dos anos iniciais e anos finais desse nível de ensino.

Objetivo:Teve por objetivo, captar e sistematizar as práticas pedagógicas desenvolvidas por professores do 5º e 6º anos do ensino fundamental, seus problemas, iniciativas e base teórica tendo em vista a sua reformulação.

Metodologia:Na metodologia da pesquisa de abordagem qualitativa foram utilizados a observação participante e entrevista semiestruturada como instrumentos de coleta de dados. O campo de investigação foi composto de duas escolas particulares de Curitiba e os sujeitos da pesquisa foram vinte e sete professoras e uma coordenadora pedagógica atuantes na 5ª. E 6ª. séries do ensino fundamental. A análise dos dados foi feita pela análise de conteúdo de Bardin (2011) que resultou em duas categorias de análise: (i) organização dos objetivos, conteúdo e metodologia; (ii) avaliação.

Resultados:O estudo revelou que: (i) na escola “A” a organização do trabalho pedagógico expressa uma influência da abordagem tecnicista tal como observada por Martins (2008) na qual cabe ao professor executar o planejamento elaborado por especialistas. Ao mesmo tempo que há um espaço para o professor desenvolver atividades didáticas conforme sua concepção de educação; (ii) na escola “B” verifica-se um movimento de autonomia do professor para selecionar conteúdo, objetivos e metodologia. A decisão é feita de forma colaborativa e interdisciplinar entre os professores envolvidos buscando uma espiralidade metodológica. Verifica-se uma influência da abordagem centrada no aprender a aprender da Escola Nova, com indícios a abordagem sociocultural centrada na sistematização coletiva do conhecimento em que o centro do processo se desloca para a prática social do professor e do aluno conforme Martins (2008); (iii) com relação à avaliação, ambas as escolas tem o envolvimento do professor na sua elaboração ainda que na escola “A” ocorra a troca de professores para a aplicação das provas e uma banca para a correção das mesmas como na abordagem tecnicista. Observa-se o critério das dimensões socioemocionais, ético-relacionais e cognitivas e o avanço na capacidade de reflexão crítica do estudante e proposição de alternativas. Aí se tem a influência da abordagem sociocultural.

Conclusões:Em conclusão a pesquisa mostra que neste início de século XXI, há permanências e avanços na organização do trabalho pedagógico da escola e na prática pedagógica dos professores com influência das abordagens Tecnicista, Nova e Sociocultural.

Palavras-chave: Teorias educacionais. Didática teórica/Didática. Ensino fundamental 5º e 6º anos. Prática pedagógica.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador