AVALIAÇÃO DA ADESÃO E PROLIFERAÇÃO DE CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS SOBRE MATRIZ DE MEMBRANA AMNIÓTICA

OLIVEIRA, Arthur Henrique Gomes de1; SENEGAGLIA, Alexandra Cristina2;

Resumo

Introdução:O uso de biomateriais aplicados na área da medicina regenerativa tem se mostrado bastante promissor. Dentro da engenharia de tecidos existem biomateriais que são utilizados visando a reparação ou mesmo a substituição de tecidos ou órgãos. A membrana amniótica (MA) tem características que a tornam elegível para ser um biomaterial de grande interesse, podendo ainda atuar como arcabouço biológico. As células-tronco mesenquimais (CTM) apresentam características específicas que as tornam de grande interesse na aplicação na terapia celular, por conta da sua capacidade imunomodulatória e baixa imunogenicidade. Dessa forma, a utilização de CTM associadas a um arcabouço biológico como a MA pode representar uma alternativa dentro da medicina regenerativa possibilitando novos tratamentos para diversas enfermidades.

Objetivo:O objetivo deste estudo foi verificar a adesão, viabilidade e proliferação das CTM derivadas do cordão umbilical humano após o cultivo sobre a membrana amniótica.

Metodologia:Foram utilizadas três amostras de MA e o processo de decelularização realizado foi através de um protocolo que utilizou SDS à 0,1% por 24 horas, álcool 70% durante 24 horas seguido de agitação constante por 10 dias em soro fisiológico. Após a descelularização das MA as amostras foram submetidas ao procedimento de recelularização, utilizando CTM isoladas do tecido de cordão umbilical. O isolamento das CTM dos cordões foi realizado de acordo com a técnica previamente padronizada no Núcleo de Tecnologia Celular da PUCPR, que consiste na dissociação mecânica seguida de dissociação enzimática do cordão umbilical, seguida de expansão in vitro. O procedimento de recelularização utilizado foi pela técnica de gota pendente e as avaliações de adesão e proliferação foram realizadas, respectivamente, pela microscopia eletrônica de varredura e pela bioluminescência.

Resultados:As análises realizadas confirmaram que as CTM derivadas do tecido de cordão umbilical, após sete dias de cultivo, aderiram ao arcabouço da MA nas três amostras descelularizadas. A avaliação por bioluminescência demonstrou que as CTM proliferaram no arcabouço, em dois dos três fragmentos analisados, após dez dias de avaliações.

Conclusões:A partir dos resultados obtidos, concluiu-se que a técnica de recelularização se mostrou eficiente, pois possibilitou tanto a adesão quanto a proliferação de CTM sobre a matriz da MA.

Palavras-chave: Membrana amniótica. Células-tronco mesenquimais. Biomateriais.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador