TEORES DE FÓSFORO NO SOLO EM FUNÇÃO DAS FORMAS DE APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FOSFATADO NO FEIJOEIRO

GOMES, Mayra Martins1; SILVA, Artur Siviero da 3; SEIDEL, Daniel Ivan 3; KAEFER, Willian Felipe Koehler 3; TESSER, Camila Carla 3; CASTRO, Luiz Fernando Rocha de 3; RICHART, Alfredo2;

Resumo

Introdução:A cultura do feijão apresenta-se como uma alternativa de cultivo na região oeste do Paraná. Dentre os nutrientes que são absorvidos pela cultura, destaca-se o fósforo (P), visto que a nutrição adequada depende da fonte de P e está relacionada à habilidade de absorção, além deste nutriente influenciar diretamente nos processos fisiológicos das plantas. Os diferentes métodos de aplicação do fertilizante fosfatado visam avaliar aspectos agronômicos, operacionais e econômicos.

Objetivo:Medir a eficiência no fornecimento de P pela medição dos teores de P removidos do solo para cultura do feijoeiro em função dos modos de aplicação de P no momento da semeadura da cultura em Latossolo Vermelho Distroférrico típico de Toledo, região oeste do estado do Paraná.

Metodologia:O trabalho foi conduzido nas dependências da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Campus Toledo, na unidade experimental do curso de Agronomia. O delineamento experimental adotado foi de blocos ao acaso, com os tratamentos constituídos pelas formas de aplicação do fertilizante fosfatado (100% aplicado a lanço, 100% aplicado no sulco de semeadura e 50% aplicado a lanço e 50% no sulco de semeadura), com cinco repetições. Como fonte de P foi utilizado o superfosfato triplo (41% de P2O5), aplicando 250 kg ha-1 do fertilizante. Após a colheita do feijão, foram realizadas as amostragens de solo para quantificar a quantidade de P acrescentado no solo. As amostras de solo foram coletadas em sete pontos por parcela. A estratificação foi realizada efetuando-se a coleta as amostras de nas profundidades de 0 – 5; 5 – 10; 10 – 15 e 15 – 20 cm. Após coletadas as amostras de solo, foram encaminhadas para o Laboratório de Fertilidade do Solo da PUCPR, campus Toledo e determinou-se o teor de P utilizando como extrator o Mehlich-1.

Resultados:Os maiores teores de P no solo foram observados nas camadas de 0 – 5 cm, quando aplicado a lanço ou no sulco de semeadura não se obteve diferença significativa quanto ao modo de aplicação do fertilizante fosfatado. Em relação às diferentes profundidades, ocorreram variações significativas nos teores de P entre as amostras coletadas de solo, apresentando acúmulo do nutriente na superfície e reduzindo os teores nas diferentes profundidades estudadas. Além disso, os maiores teores de P foram obtidos nas coletas de solo nas entrelinhas, as quais, possivelmente, podem ter sido influenciadas pela maior extração do P na linha pela cultura do feijão, em comparação com a linha de semeadura.

Conclusões:Os modos de aplicação do fertilizante fosfatado realizadas no momento da semeadura e o local de amostragem (linha e entrelinha) não influenciaram os teores de P no solo avaliados após a colheita do feijão. Os maiores teores de P foram obtidos na profundidade 0 – 5 cm, reduzindo gradativamente até a profundidade de 15 – 20 cm.

Palavras-chave:Phaseolus vulgaris L. Extrator de fósforo. Amostragem de solo

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador