ANÁLISE DE SEGURANÇA DA BROMOPRIDA EM PACIENTES ATENDIDOS POR UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA-PR

PEREIRA, Elisa Telck1; ASCHENBRENNER, Jaqueline Jesus 3; SALES, Fernanda Cristina Ostrovski2;

Resumo

Introdução:O uso incorreto de medicamentos traz sérias consequências para a saúde dos pacientes, acarretando uma série de eventos adversos (EA). Os antieméticos são medicamentos que a experiência clínica mostra alta incidência de EA, mas que continuam sendo muito utilizados na prática clínica hospitalar, pelo seu baixo preço e seu fácil acesso. A bromoprida é um antiemético que causa muitos EA, dentre os quais podemos citar reação extrapiramidal, distonia aguda e discinesia tardia. Nota-se que foram realizados poucos estudos para comprovar a eficácia e segurança da bromoprida, tornando importante novas pesquisas sobre os EA e intoxicações relacionadas ao uso do medicamento.

Objetivo:Avaliação da segurança do medicamento antiemético bromoprida, a partir de informações retrospectivas coletadas em fichas de evolução (prontuário eletrônico), de pacientes atendidos no Pronto-Socorro em um hospital universitário do município de Curitiba-PR.

Metodologia:A pesquisa foi realizada em um hospital universitário do município de Curitiba – PR. Os dados relacionados à pesquisa foram coletados pelos pesquisadores a partir de fichas de evolução (prontuários) dos pacientes atendidos no pronto atendimento do hospital universitário em questão, no período de 01 de janeiro de 2018 a 30 de março de 2018. Foram incluídos no estudo os pacientes de todas as idades, atendidos no pronto atendimento do hospital universitário em questão e que tiveram em suas prescrições o medicamento antiemético bromoprida. Com base na revisão de literatura realizada, definiu-se quais os termos de busca nos prontuários correlacionados à segurança (ou insegurança) do uso do medicamento bromoprida. Os resultados obtidos no estudo foram descritos por médias, desvios padrões, medianas, valores mínimos, valores máximos (variáveis quantitativas) ou por frequência e percentuais (variáveis categóricas). Para avaliar a associação entre duas variáveis categóricas foi usado o teste exato de Fisher. A comparação entre grupos definidos pela segurança, em relação a variáveis quantitativas, foi feita usando-se o teste não-paramétrico de Mann-Whitney. Valores de p<0,05 indicaram significância estatística. Os dados foram analisados com o programa computacional Stata/SE v.14.1 StataCorpLP, USA.

Resultados:O estudo demonstrou que dentre os prontuários avaliados apenas 140 tiveram o uso de bromoprida de maneira segura. 71 casos não obtiveram segurança na administração, pois não havia necessidade do uso. Apenas 1 caso dos 617 havia a descrição relatada em prontuário de efeito adverso. Aproximadamente 66% dos prontuários não tinham o mínimo necessário para avaliar a segurança do uso do medicamento. Descartando-se os prontuários que não possuíam informações suficientes, a análise dos demais mostrou que 99,3% dos pacientes que possuíram necessidade do uso da droga tiveram segurança no seu uso (p: <0,05).

Conclusões:Com base no presente estudo, pode-se perceber que o medicamento bromoprida, quando utilizado de acordo com a necessidade do paciente, é um medicamento seguro, com baixa incidência de efeitos adversos. Observou-se também a necessidade de esclarecer e incentivar as equipes de saúde a preencher os prontuários corretamente para melhorar a comunicação multidisciplinar e aumentar a eficácia da segurança dos pacientes internados.

Palavras-chave:Bromoprida. Efeitos adversos. Segurança. Náusea. Vômito

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador