O MEIO AMBIENTE E A SUSTENTABILIDADE NA PERSPECTIVA DO PRINCÍPIO RESPONSABILIDADE DE HANS JONAS

SANTOS, Rosicler Rodrigues dos1; SGANZERLA, Anor2;

Resumo

Introdução:A reflexão sobre a relação do ser humano com a natureza nunca foi necessária quanto na atualidade. E isso porque, apesar de todo avanço vivenciado nas últimas décadas, o ser humano partindo de uma visão antropocêntrica de mundo, ainda continua a se relacionar com a natureza através de um filtro de superioridade, de supremacia e de poder. Ante esse cenário, a humanidade começa a perceber que o planeta já não suporta mais a prática predatória a que desde sempre esteve submetido e, por essa razão, um novo tipo de relação precisa ser estabelecida entre o ser humano e o meio ambiente, sob pena de não termos um futuro. Esta pesquisa tem por objetivo.

Objetivo:Analisar como os fundamentos da ética da responsabilidade apresentados por Hans Jonas podem orientar o agir humano ante os avanços das biotecnologias, e em especial, em relação ao impacto destas sobre a natureza.

Metodologia:Esta pesquisa usou da metodologia crítica-refletiva a partir dos principais textos de Hans Jonas e de seus comentadores.

Resultados:A dimensão até então nunca vista do avanço tecnológico mudou a relação entre o ser humano, a moral e a natureza, e colocou em xeque toda a sobrevivência do planeta. Desse modo, Hans Jonas apresenta a insuficiência da ética tradicional e a necessidade de construção de uma nova ética de caráter público-coletivo, capaz de abarcar tamanha transformação. É a partir dessa constatação e necessidade que nasce o princípio responsabilidade, isto é, um agir ético voltado para a técnica e para a preocupação com o futuro da humanidade, capaz de abarcar as mudanças vivenciadas, de garantir a existência humana de todos os seres que compõem o planeta, que antecipe os efeitos da ciência voltando-se para o futuro, e que regule o alcance da técnica.

Conclusões:Essa ética tem sua base no imperativo categórico apresentado por Jonas, na ideia de temor refletido, na metafísica enquanto doutrina do ser, na concepção coletiva de direitos e deveres, no resgate do altruísmo que é inerente ao ser humano, na responsabilidade política e na humildade como forma de coibir a arrogância tecnológica. Para Hans Jonas, não é mais possível que o ser humano viva sem tomar consciência de que a preservação do meio ambiente é condição necessária para que no futuro seja possível uma vida autêntica. Segundo o pensador, a destruição da natureza promoverá a destruição a própria natureza do ser humano, sua autenticidade, porque o ser humano é parte e fruto da natureza. Somente uma nova ética poderá assegurar a sua condição autêntica.

Palavras-chave: Meio ambiente. Princípio Responsabilidade. Ética. Hans Jonas.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador