AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE SILAGEM DE SORGO EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE MATURAÇÃO COM E SEM USO DE ADITIVOS

PERIUS, Luana Gabriela1; DAGA, Carolain Schorr 3; DAGA, Jacir 3; NASSI, Gustavo Henrik 3; FUKUMOTO, Nelson Massaru2;

Resumo

Introdução:Entre as formas de armazenamento de forragem mais típicas destaca-se a conservação de forragem em forma de silagem. A forragem exclusivamente de sorgo apresenta valores que indicam um bom perfil fermentativo. Para melhorias no processo de fermentação, podem ser adotadas técnicas como o uso de aditivos. Entre os aditivos mais utilizados destaca-se o inoculante microbiano por sua facilidade de manipulação, ausência de toxidade para os mamíferos e grande disponibilidade no mercado. Adicionalmente, aditivos ácidos como o ácido acético vem sendo utilizado para melhorar o processo fermentativo pela inibição de microrganismos indesejáveis e melhoramento da conservação da silagem.

Objetivo:O experimento teve como objetivo avaliar a produção de silagem de sorgo em diferentes estágios de maturação com e sem uso de aditivos.

Metodologia:O delineamento experimental foi em parcelas subdivididas com três diferentes estágios de maturação e três formas de uso de aditivos com cinco repetições em blocos casualizados. Os estágios de maturação foram: 1/3, 1/2 e 3/4 de maturação dos grãos na panícula e os aditivos foram inoculante microbiano e ácido acético. Para as amostras dos silos, após a abertura dos mesmos, uma quantidade aproximada de 250 g de silagem, foram amostradas para determinação dos teores de matéria seca (MS) e pH. Para a determinação das perdas por fermentação nos silos todos os componentes do balde, assim como a forragem acondicionada, foram pesados para a quantificação das perdas por geração de efluentes e gases e matéria seca. Para os efeitos dos estágios de maturação e uso de aditivos nas variáveis capacidade fermentativa foram realizados a análise de variância. Quando a análise de variância apresentou-se significativa foi utilizado o teste de médias (Tukey a 5%).

Resultados:No experimento em questão, foi possível observar que não há diferença sobre a colheita da forrageira em diferentes períodos e maturação dos grãos (1/3, 1/2 e 3/4) e a adição de aditivos na ensilagem em relação as perdas por gases e efluentes e perda de matéria seca da silagem (MS), podendo-se constatar que o sorgo é uma cultura que não precisa de aditivos para estimular a fermentação. O teor de matéria seca (MS) da silagem foi maior no tratamento 3/4 de maturação do grão, apresentando-se com 41,01% de MS. Em relação aos tratamentos dos estágios de maturação, o tratamento 1/2 diferiu-se dos outros dois, apresentando o pH de 3,45. Os tratamentos das silagens onde utilizou-se os aditivos, apresentaram valores de pH mais reduzido em comparação com a silagem que não tinha aditivo. O inoculante microbiano e o ácido acético não diferem entre si em relação ao pH da silagem, sendo os dois eficientes no processo de redução do pH.

Conclusões:Pode-se concluir que a silagem do estágio de maturação 1/2 dos grãos maduros na panícula se apresentou mais eficiente se observar o valor do pH. As silagens com aditivos tiveram a mesma quantidade de perdas que as silagens sem aditivos, constatando que não há ganho significativo com o uso dos aditivos tanto o inoculante microbiano como o ácido acético.

Palavras-chave:Ácido acético. Inoculante microbiano. Perdas fermentativas

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador