PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DAS URGÊNCIAS OCULARES NÃO CIRÚRGICAS ATENDIDAS EM PRONTO-SOCORRO OFTALMOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA - PARANÁ

SILVA, Lícia Inazawa da1; HOYAMA, Erika2;

Resumo

Introdução:O conhecimento das urgências oftalmológicas é de grande importância, principalmente devido à gravidade de suas consequências. As urgências oftalmológicas incluem: trauma ocular, glaucoma agudo, conjuntivites, corpo estranho, uveíte, ceratite, hemorragia subconjutival, entre outras. O conhecimento da epidemiologia e das tendências de algumas patologias oculares auxilia na prevenção à cegueira.

Objetivo:O objetivo deste estudo foi avaliar o perfil epidemiológico das urgências oculares clínicas atendidas em serviço oftalmológico de referência em Londrina-Paraná, identificando o atendimento das principais faixas etárias e sexo, tempo do quadro clínico ao atendimento, as queixas para procura do serviço, além dos principais tipos de tratamento.

Metodologia:Foram analisados 4390 prontuários médicos, coletando-se os dados da idade, sexo, local de residência, tempo e tipo de queixa, acuidade visual e patologias oculares no exame, diagnóstico e tratamento. A análise ocorreu por meio de estatísticas descritivas e as associações das variáveis qualitativas realizadas pelo teste de qui-quadrado ou exato de Fisher.

Resultados:A principal faixa etária que procura o serviço é de 18 a 65 anos (75%), sendo o sexo masculino o mais atendido (62%). Em relação ao tempo de queixa, a maioria dos pacientes levam até 7 dias para procurar atendimento. O tipo de queixa mais encontrado foi de sensação de corpo estranho (28,8%). Os pacientes com nenhum antecedente ocular foram os mais prevalentes no estudo (84,3%). A maioria dos indivíduos apresentou acuidade visual melhor que 20/30. As alterações de córnea no exame de biomicroscopia foram as mais encontradas (40,4%). De acordo com os achados, a pressão intraocular de até 21 mmHg representou a maior parte da amostra. O exame de fundo de olho normal foi o mais frequente (55,8%). Em relação ao diagnóstico, o mais encontrado foi o corpo estranho (26,2%)

Conclusões:Observamos neste estudo que o sexo masculino na idade adulta, com queixas de sensação de corpo estranho com menos de 07 dias de história foram os casos clínicos mais prevalentes avaliados em pronto socorro oftalmológico.

Palavras-chave:Urgências oftalmológicas. Pronto-socorro oftalmológico. Epidemiologia

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador