ADIÇÃO DE BITUCAS DE CIGARRO EM BLOCOS CERÃMICOS

ZATTAR, Ana Flávia Picoli1; SILVA, Claudia Claumann da2;

Resumo

Introdução:A preocupação com o descarte das bitucas de cigarro é de âmbito mundial quando se refere ao meio ambiente. Pensando nisso, foi elaborada uma pesquisa que prevê a inserção deste resíduo em blocos cerâmicos, um dos materiais mais adaptáveis e utilizados na construção civil, mas que, no entanto, com a popularização e flexibilidade na utilização acabam sendo produzidos sem constante fiscalização, o que resulta em certa fragilidade nos produtos encontrados. Para auxiliar nesse déficit da qualidade, aditivos podem ser acrescentados na composição.

Objetivo:O objetivo geral da pesquisa em questão consiste em verificar a viabilidade técnica da adição de bitucas de cigarro em blocos cerâmicos quando avaliadas as propriedades do material em questão.

Metodologia:Para o estudo, além dos blocos de seis furos isentos de adição, foram elaborados corpos de prova com adição de bitucas inteiras e bitucas picadas, com a finalidade de comparar os resultados encontrados entre eles. A mistura da argila utilizada para confecção dos blocos foi fornecida pela olaria irmãos Gai, onde os corpos de prova foram cometidos. A viabilidade da inserção desse resíduo no material, segundo suas propriedades, foi testada através de ensaios de resistência à compressão, de absorção inicial e de absorção da água em laboratório, todos de acordo com a NBR 15270.

Resultados:Em relação a resistência à compressão os resultados indicam que houve incremento na resistência média quando comparados os corpos de prova com adição aos sem bitucas, além de todos os blocos possuírem resistência mínima exigida por norma de 1,5 MPa. Os blocos que receberam em sua composição bitucas picadas obtiveram a maior média de resistência à compressão em relação aos com bitucas inteiras, isso devido, provavelmente, ao aumento da superfície de contato entre a argila e a bituca, melhorando a aderência entre elas.No teste de absorção d’água os valores indicam aumento neste valor com a adição de bitucas de cigarro, no entanto, os valores acresceram de forma a se manter no intervalo aceitável por norma de 8% a 22%. Uma possível explicação para este fator seria o aumento dos poros com a adição de resíduo, fazendo com que houvesse maior número de vazios no material, promovendo como consequência, o aumento de sua permeabilidade. Houve um acréscimo nos valores de absorção inicial d’água com a adição de bitucas de cigarro, no entanto, este aumento pode ser considerado insignificante, já que todos os blocos tiveram valores inferiores ao limite de (30g/193,55cm²)/min especificado por norma para necessidade de umedecimento prévio ao assentamento.

Conclusões:Após pesquisa bibliográfica e análise dos resultados obtidos por meio da pesquisa empírica, pôde-se concluir que a bituca, em concentrações próximas à utilizada neste projeto, é um viável aditivo aos blocos cerâmicos, já que não interfere de maneira negativa em nenhum dos critérios avaliados, além de auxiliar na destinação desse resíduo, que é ambientalmente prejudicial. A adição proporcionou incremento na resistência à compressão e, em todos os critérios avaliados, os blocos se mantiveram dentro dos valores determinados por norma, além de nenhum tipo de corpo de prova analisado necessitar de umedecimento prévio ao assentamento.

Palavras-chave: Bloco cerâmico. Bituca de cigarro. Resistência à compressão. Absorção d’água. Absorção inicial d’água.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador