WALKABILITY: AVALIAÇÃO DO ENTORNO IMEDIATO DA PUCPR SEGUNDO O ÍNDICE DE CAMINHABILIDADE (ITDP)

KUSKOSKI, Caroline1; NETO, Paulo Nascimento2;

Resumo

Introdução:Esta pesquisa estrutura-se a partir da compilação de resultados de pesquisas anteriores, que investigaram a utilização e apropriação dos espaços do entorno da PUCPR. Evidenciou-se ao final da pesquisa que a utilização dos espaços públicos do entorno da PUCPR se dá apenas como elemento intermediário, um corredor, uma linha conectora de dois pontos. Complementarmente, percebe-se ainda que há uma série de espaços do entorno imediato à universidade que sequer estas características possuem, sendo vistos como “espaços perigosos” pelos usuários, no qual o percurso é realizado apenas por ser indispensável, nunca opcional ou desejado. Questiona-se, assim, a influência da qualidade do espaço urbano no processo de utilização e apropriação.Os resultados apontaram para uma incipiente apropriação dos espaços públicos do entorno da universidade.

Objetivo:Para buscar responder esta questão confronta-se a análise previamente realizada com a avaliação da qualidade do espaço, realizada por meio da aplicação do Índice de Caminhabilidade. Em outras palavras, tem-se por objetivo a avaliação da qualidade dos espaços públicos do entorno imediato da PUCPR, discutindo os resultados à luz do diagnóstico do grau de apropriação destes espaços.

Metodologia:Metodologicamente, o trabalho organizou-se em três fases – exploratória, descritiva e analítica, embasando-se na metodologia do ITDP para formação de indicadores e cálculo do índice de caminhabilidade.

Resultados:Os resultados obtidos apontam para reflexões em diferentes escalas de análise, possibilitando a espacialização de diferentes compartimentos segundo dimensões e a reflexão crítica sobre o alcance do Índice de Caminhabilidade em efetivamente proporcionar a avaliação da qualidade do espaço urbano. Destaca-se que a atratividade, representada pela presença de uso misto e permeabilidade visual e efetiva das fachadas demonstraram compor elemento central à maior intensidade de utilização do espaço público, ainda que se trate de uma utilização pouco qualificada, meramente de passagem.

Conclusões:Por fim, uma vertente de reflexão crítica centra-se na proposição de novas formas de composição do índice de caminhabilidade, avançando no refinamento de pesos e composição de métricas de formação dos indicadores, evidenciando ou fortalecendo dimensões que, ao menos de forma preliminar, parecem possuir maior preponderância no fomento à utilização dos espaços públicos.

Palavras-chave: Caminhabilidade. Apropriação de Espaço. PUCPR.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador