PAISAGEM SEGURA: ENSAIO AMPLIADO EM CIDADES MÉDIAS BRASILEIRAS

PASSOS, Hiago Batista de1; BELNIAKI, Amanda Cerioni 3; HARDT, Carlos 3; FAMELI, Ester de Oliveira 3; SILVA, Julio Cesar Barros da 3; ABADE, Victor Augusto Bosquilia 3; HARDT, Leticia Peret Antunes2;

Resumo

Introdução:Com vistas à compreensão de possíveis características que favorecem ocorrências criminais no meio urbanizado a partir da avaliação da qualidade morfológica de regiões com altos índices de criminalidade, a pesquisa tem foco no estudo de caso sobre cidades médias brasileiras.

Objetivo:Por conseguinte, seu objetivo geral é avaliar padrões qualitativos e morfológico-funcionais da paisagem urbana associados à violência nesses núcleos urbanos.

Metodologia:De caráter exploratório, descritivo e analítico, seus procedimentos englobaram três fases principais. A primeira, apoiada em levantamento bibliográfico e documental, compreendeu a fundamentação teórica, com a identificação de conceitos, teorias, técnicas e métodos inerentes ao aprofundamento do tema. A segunda envolveu a estruturação metodológica propriamente dita, com reconhecimento dos percursos realizados pela população alvo relacionados com a violência, bem como a análise de padrões qualitativos morfológicos-funcionais da paisagem e de possíveis sensações de insegurança, associando-os a diretrizes dos planos diretores municipais integrantes das suas respectivas leis. Nesse contexto, foi realizado o levantamento e georreferenciamento dos dados de duas cidades médias de áreas metropolitanas em cada uma das cinco regiões brasileiras, totalizando 10 objetos de estudo, correspondentes a: Benevides, Pará, e Rio Branco, Acre (Norte); Lauro de Freitas, Bahia, e Olinda, Pernambuco (Nordeste); Aparecida de Goiânia, Goiás, e Várzea Grande, Mato Grosso (Centro-Oeste); Mauá, São Paulo, e Vespasiano, Minas Gerais (Sudeste); Canoas, Rio Grande do Sul, e São José dos Pinhais, Paraná (Sul). Dentre as informações investigadas, destacam-se os índices criminais de cada caso, conformando os pontos estratégicos para aplicação dos passos adotados para o trabalho. A última fase consistiu na discussão analítica dos resultados.

Resultados:Em todas as situações, os pontos de crime revelam determinadas condições de insegurança, com o exame de formas e funções espaciais caracterizando elementos morfológicos que induzem à necessidade de soluções para a redução dos impactos de violência nesses núcleos medianos, tendo principal enfoque em áreas de maior concentração e fluxo de pessoas, correspondentes às regiões centrais. Esses componentes são referentes principalmente às variáveis de visibilidade, que, pelo conceito de vigilância natural, indicam melhores índices de vigilância natural e consequente proteção.

Conclusões:Conclui-se que a análise de condições morfológicas e funcionais contribuem para a formulação de soluções para melhoria da segurança, servindo tanto para diagnósticos espaciais quanto qualificação urbana para a conformação de paisagens seguras.

Palavras-chave: Paisagem urbana. Áreas centrais. Pontos de crime. Padrões morfológico-funcionais. Planejamento e gestão de cidades.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador