DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DOCENTE DE VÍDEOS PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DO EXAME FÍSICO OSTEOARTICULAR.

VIDAL, Larissa Vaneska Izidorio1; RIBEIRO, Thaís Loss 3; WALLIM, Liz Ribeiro 3; TAMBANI, Laise Cavalcante 3; RINALDI, Valéria Zatti 3; MARTIN, Patricia2;

Resumo

Introdução:A sala de aula invertida é uma metodologia de ensino-aprendizagem centrada no estudante que permite o aprendizado ativo quando comparada ao método de ensino tradicional. Nesta forma de metodologia, o estudante é exposto ao material didático antes do encontro presencial, fora da sala de aula, geralmente sob a forma de material escrito, aulas gravadas ou vídeos. O presente estudo teve como metas desenvolver, avaliar e aperfeiçoar vídeos sobre exame físico osteo-articular para serem disponibilizadas como ferramentas pré-encontro presencial na sala de aula invertida.

Objetivo:Os objetivos do projeto foram desenvolver um vídeo abordando o exame físico do ombro, realizar a avaliação docente dos vídeos do exame físico de ombros, cotovelos e mãos e sugerir soluções para aperfeiçoar tais vídeos de acordo com a avaliação dos docentes.

Metodologia:O estudo se caracteriza pelo delineamento observacional transversal. Os vídeos de exame físico osteo-articular produzidos pelas pesquisadoras em parceria com o setor de tecnologias educacionais da PUCPR foram disponibilizados aos professores por meio de e-mail contendo os links para acesso, assim como um questionário composto por perguntas abertas e fechadas para avaliar a forma, o conteúdo dos vídeos, assim como o impacto na aprendizagem.

Resultados:Dezessete docentes de diversas especialidades médicas responderam à pesquisa. Em relação ao conteúdo, a maiorias dos entrevistados concordou, total ou parcialmente, que os vídeos permitiram entender a sequência semiológica do exame físico osteoarticular e que o uso de imagens patológicas facilitou a interpretação dos achados do exame clínico e que a linguagem foi adequada. Quanto à forma, a maioria dos professores também concordou, total ou parcialmente, que a música de fundo, as cores e a iluminação foram adequadas e que a duração do vídeo não foi excessiva. Sobre o impacto na aprendizagem a maioria dos docentes concordou que os vídeos motivam os alunos a estudarem sobre o tema abordado, que são ferramentas úteis para o ensino aprendizagem do exame osteoarticular e que são adequados para a formação do clínico generalista. Todos os professores concordaram que tais vídeos facilitam o aprendizado, sendo considerando ferramentas úteis para a grande maioria dos entrevistados. A principal sugestão para melhoria foi a disponibilização das patológicas em maior aumento, o que será encaminhado para o setor de tecnologias educacionais.

Conclusões:O presente trabalho é o primeiro na literatura nacional a analisar a visão dos docentes em relação ao uso de vídeos como método de ensino-aprendizagem de exame físico osteoarticular no curso de graduação de Medicina. Os vídeos foram bem avaliados e melhorias pontuais serão viabilizadas. A presente pesquisa estimulou as pesquisadoras a expandir o projeto, dado a carência de vídeos com qualidade acadêmica para o ensino-aprendizagem do exame físico osteoarticular e a prevalência das queixas músculo esqueléticas.

Palavras-chave:Exame físico. Músculo Esquelético. Recursos Audiovisuais. Educação Médica.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador