AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE UMA INTERVENÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA AUTOGERENCIAMENTO DE DOR CRÔNICA

FACCHIN, Laura Schmitz1; BONATO, Mariane Louse 3; REINHERDT, Leticia 3; CARON, Carla Mendonça 3; ABDALLA, Flávia Martins 3; BELO, Maria Edjane 3; GOMES, Clemilson Sombrio 3; FIDALSKI, Solena Ziemer Kusma 3; MARTIN, Patricia2;

Resumo

Introdução:A fibromialgia (FM) é uma doença crônica que resulta em importante comprometimento da qualidade de vida, não apresentando tratamento único efetivo. Portanto, além de medicações, demanda cuidado interdisciplinar que contemple a compreensão da doença e atividades voltadas ao bem-estar físico e psicológico.

Objetivo:Avaliar, de forma qualitativa, o impacto da implantação de um projeto-piloto conduzido por uma equipe interdisciplinar para autogerenciamento de dor crônica em pacientes com FM, imediatamente após a intervenção e 12 meses depois.

Metodologia:Estudo qualitativo que avaliou uma intervenção consistindo em 10 encontros semanais com um grupo de 8 pacientes orientadas por uma equipe interprofissional formada por psicólogos, terapeuta ocupacional, médicos, fisioterapeuta e nutricionista. Utilizou-se psicoeducação, terapia de aceitação e compromisso, mindfullness, exercícios respiratórios e de relaxamento muscular progressivo, técnica de liberação posicional neuromuscular para alívio da dor, proteção articular e organização das rotinas, dieta e higiene do sono. Entrevistou-se 4 pacientes em grupo focal abordando as dificuldades da rotina e estratégias de enfrentamento da dor logo após o término da intervenção e depois de um ano de seguimento. As entrevistas foram gravadas e transcritas e procedeu-se a análise do conteúdo, abrangendo três etapas: pré-análise, exploração do material e tratamento dos resultados levando à inferência e interpretação.

Resultados:Os seguintes temas emergentes foram observados no grupo focal realizado após o término do tratamento: ganho de autonomia; melhora no enfrentamento da dor e do padrão do sono e menor consumo de medicamentos indicando que a curto prazo a intervenção foi benéfica. Entretanto, após um ano, embora a autonomia ainda tenha aparecido dentre os temas emergentes, não se observou mais a melhora do sono e das formas de enfrentamento; o que pode ser explicado pelos relatos frequentes de violência doméstica e etilismo por parte dos cônjuges, que foram os principais temas emergentes da análise do discurso após um ano de acompanhamento.

Conclusões:A intervenção interdisciplinar mostrou-se eficiente para o tratamento e gerenciamento da fibromialgia de forma imediata, minimizando o impacto da dor na rotina dessas pacientes e evidenciando a importância da equipe interdisciplinar na prestação de atendimento integral e humanizado. Entretanto, problemas como o etilismo e violência doméstica impediram a melhora continuada, sendo necessário promover uma abordagem de tais problemas, de forma contínua, possivelmente em encontros mensais, a fim de melhorar o potencial de desfechos benéficos.

Palavras-chave: Fibromialgia. Dor crônica. Equipe de assistência ao paciente.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador