ANÁLISE DA ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DO BANCO DE DADOS DO COOSMIC: COORTE DE SAÚDE MATERNO–INFANTIL DE CURITIBA

NEVES, Camila Andrade1; WEBER, Saulo Henrique2;

Resumo

Introdução:O estudo de Coorte Materno-Infantil (COOSMIC) auxilia no desenvolvimento de pesquisa e políticas e ações de impacto, bem como na proteção materno-infantil em Curitiba e Região Metropolitana, além de oferecer oportunidade para a produção de conhecimento sobre iniquidades em saúde, diagnóstico de riscos e chances individuais e comunitárias. Portanto, para o sucesso do estudo, é necessário que haja um armazenamento e organização sistemática em banco de dados. Através da organização do banco de dados, será realizado a classificação das variáveis em qualitativas (dicotômicas ou politômicas) e quantitativas (discretas ou contínuas), para que assim, sejam realizadas as análises estatísticas para obtenção de resultados.

Objetivo:Analisar a estrutura e organização do banco de dados do COOSMIC: Coorte De Saúde Materno–Infantil De Curitiba.

Metodologia:Captação das 100 primeiras gestantes, no projeto piloto, na Unidade Mãe Curitibana por entrevistadores calibrados, durante os meses de agosto a novembro de 2018 e aplicação de um questionário composto por doze blocos de perguntas, mais as avaliações físicas. Foi desenvolvido um sistema para gestão do fluxo da base dados. Após a organização e sistematização dos dados no software Excel®, a consistência dos mesmos foi realizada a partir de cinco etapas de verificação, em que as falhas e inconsistências encontradas foram analisadas.

Resultados:As entrevistas tiveram duração média de três horas. As principais inconsistências encontradas no projeto piloto foram: erros de digitação, falta de padronização dos dados, preenchimento incorreto dos códigos de identificação das gestantes e preenchimento duplo dos dados. A média de entrevistas por avaliador foi de 14,4. As características dos entrevistadores como ser aluno ou professor e ser da graduação ou pós-graduação não apontou diferença estatística significativa na qualidade das entrevistas e nas inconsistências encontradas, apenas o fato do entrevistador receber remuneração ou ser voluntário apresentou diferença estatística significativa.

Conclusões:A análise das falhas e inconsistências do estudo gerou melhorias e modificações no estudo oficial que teve início no ano de 2019. As análises demonstraram a necessidade de nova calibração dos entrevistadores e investimento financeiro específico ao estudo. Além disso, a pesquisa propiciou maior confiabilidade ao estudo.

Palavras-chave:Base de dados. Gestante. Recém-nascido

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador