DETERMINAÇÃO DE MASSA SECA DA BIOMASSA TOTAL DE FUNGO BIOTRASNFORMADOR EM REATORES DE CÂMERA DE BOLHAS E AIRLIFT

PAULA, Rafaela Caldas de1; FRANCO, Henrique Wuicik 3; BIANCHINI, Luiz Fernando2;

Resumo

Introdução:O uso de biorreatores vem cada vez mais sendo empregado na indústria, e sua utilização se dá nos mais diversos bioprocessos. Isso ocorre, pois, estes reatores promovem um ambiente adequado e estável para todos os microrganismos do sistema, além de apresentarem baixo custo de produção. O fungo amostral, a Cunninghamella elegans DSM1908, possui uma vasta gama de enzimas CYP450, que possui um alto potencial biotransformador molecular. Este fungo também apresenta potencial de formar biofilme, quando aderido em uma superfície porosa e rugosa.

Objetivo:Padronizar o crescimento deste microrganismo e obter maiores valores de biomassa em reatores airlift (RAL), híbrido airlift com leito fixo (RAL-LF) e coluna de bolhas (RCB) para escalonar bioensaios de biorremediação, biossorção e biossíntese de novas moléculas.

Metodologia:O fungo foi cultivado em ágar Dextrose Sabouraud a 28° C, por 5 dias. Os reatores com capacidade nominal de 1L foram montados em três condições distintas: RAL contendo uma placa vertical de vidro no meio do sistema, RAL-LF contendo uma tela de aço inox e RCB que não possui nenhum anteparo. Cada reator recebeu 745 mL de meio M3, 15 mL do inóculo (Mc Farland escala 10) e 40 mL de glucose supersaturada (conc. 3,2 g/mL) . O biofilme foi fragmentado e transferido gradualmente para um homogeneizador de Tenbroek, para a produção do inóculo. O crescimento da biomassa ocorreu de forma controlada, temperatura de 28 °C, 0,6 vvm, de ar estéril por 72h. Após período de crescimento, os meios passaram pelo processo de filtração em papel quantitativo de 22 micra em kitasato. O biofilme foi mantido ao baffle. A biomassa planctônica e em forma de biofilme foram determinadas por gravimetria após secagem em estufa por 48h a 50 ºC. Para determinação da homogeneidade das amostras foram utilizados os métodos Anova tipo III e Levene, seguidos de Tukey para determinação da diferença entre os grupos. Foi considerado p=0,05 para significância. Cada tratamento foi repetido 18 vezes.

Resultados:As massas para RAL-LF, RAL e RB foram, respectivamente: 2,7492±1,2587g, 1,9791±0,7376g e 1,4494±0,4410g, sendo que, segundo o teste de Tukey, RAL-LF é estatisticamente diferente de RCB e RAL (p=0,03). Considerando as características dos reatores, este resultado decorre da melhor oxigenação obtida após formação de biofilme no baffle tela do RAL-LF.

Conclusões:O crescimento do biofilme fúngico associado a porosidade e rugosidade da tela em RAL-LF podem favorecer as moléculas-alvo a serem aprisionadas pela estrutura do biofilme, facilitando assim os processos de biotransformação.

Palavras-chave:Biomassa. Cunninghamella elegans. Reator híbrido airlift com leito fixo. Reator airlift. Reator coluna de bolhas.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador