CITOLOGIA VAGINAL E ENDOMETRIAL EM CADELAS SAUDÁVEIS

CARNAUBA, Camilla Borges1; MEIRELLES, Andréa Christina Ferreira 3; WULFF, Kelen Navarro Garcia2;

Resumo

Introdução:A citologia vaginal consorciada a citologia endometrial é um método rotineiramente utilizado na clínica médica em muitas espécies animais, inclusive em humanos. No entanto, carecem estudos em animais de companhia. Sendo um método muito utilizado para a identificação do ciclo estral em cadelas, também é útil para avaliar algumas desordens vaginais e uterinas. No entanto ainda faltam estudos e padronizações para elucidar os métodos avaliativos desse procedimento consorciado a citologia endometrial, visando obter um diagnóstico útil, de baixo custo e acessível á rotina do clínico de pequenos animais.

Objetivo:O presente trabalho teve como objetivo avaliar a citologia vaginal, endometrial e a quantificação de células inflamatórias destes segmentos do trato reprodutivo da fêmea canina, correlacionando com as fases do ciclo estral em que as mesmas se encontravam.

Metodologia:Foram utilizadas 28 amostras coletadas de cadelas (Canis familiaris) que foram submetidas a ovariossalpingohisterectomia eletiva na rotina clínico cirúrgica da Clínica Veterinária da PUCPR Campus Toledo. Destas, foram realizados e analisados esfregaços vaginais e endometriais, sendo as lâminas coradas, identificadas e após realizada a leitura das mesmas. Os resultados obtidos foram tabulados e então calculadas as médias e os desvios padrões e então descritos graficamente.

Resultados:A partir do percentual de células descamativas, as fêmeas foram classificadas nas diferentes fases do ciclo estral, sendo que 28,5% fêmeas estavam na fase de proestro (com predominância de células superficiais), 7,1% em estro (com predominância de células corneificadas), 14,3% em diestro (com predominância de células intermediárias) e 50,1% em anestro (com predominância de células intermediárias). As células descamativas foram correlacionadas com células inflamatórias polimorfonucleares vaginais e endometriais e se encontravam em maior quantidade na vagina na fase de diestro.

Conclusões:Observou-se aumento na quantidade de células de polimorfonucleares na fase de diestro na mucosa da vaginal, no entanto, esse aumento não foi acompanhado por aumento da celularidade de células inflamatórias polimorfonucleares na mucosa endometrial, não sendo identificada variação na quantificação celular em nenhuma fase do ciclo estral nesse segmento do trato reprodutivo das fêmeas caninas.

Palavras-chave:Neutrófilo. Animais de companhia. Cio

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador