SOBRE A METAPSICOLOGIA COMO PROJETO CIENTÍFICO DE SIGMUND FREUD

SOUZA, Grégori de1; FONSECA, Eduardo Ribeiro da2;

Resumo

Introdução:O presente trabalho objetivou compreender a metapsicologia de Freud como projeto científico, e articular argumentos para comprovação teórica da sua necessidade – ou não – no protocolo da clínica analítica. Para tanto, nos dedicamos primeiramente a compreender e destacar o que caracteriza e em que consiste a psicanálise, bem como, situar também, o que é e qual a utilidade do método psicanalítico.

Objetivo:O objetivo geral dessa pesquisa é situar a necessidade da Metapsicologia para a subsistência da psicanalise. Especificamente, quisemos também pesquisar a natureza específica do método da psicanálise de Freud: em que consiste, quais problemas procura resolver, quais os resultados terapêuticos esperados; situar os conceitos metapsicológico em seu contexto teórico, porém em relação à clínica freudiana, especialmente a noção de transferência; pesquisar a origem histórica desses conceitos metapsicológico dentro das obras de Freud; verificar o estado da arte em relação à aceitação ou não desses conceitos de acordo com os argumentos dos comentadores.

Metodologia:A pesquisa se encaminhou com base em uma classificação e levantamento bibliográfico, seguido de leitura e fichamento das obras principais de Freud. O objetivo foi o de identificar na sua produção filosófica os escritos, ensaios, cartas, bem como quaisquer “pistas” nas quais pudéssemos nos apoiar e encontrar subsídios sobre a temática pesquisada, isto é, quaisquer elementos que auxiliassem na compreensão da metapsicologia, bem como, os motivos e o momento de seu surgimento efetivo dentro da obra.

Resultados:Se inicialmente ficamos em dúvida sobre a necessidade de uma metapsicologia para o projeto freudiano relacionado à clínica psicanalítica, logo percebemos que se tratou de uma estratégia do psicanalista para tentar estabelecer um projeto de ciência baseado em sua clínica, o que o levou a uma série sempre renovada de tentativas de estabelecer conceitos heurísticos, à maneira kantiana, com a intenção de universalizar e oferecer um parâmetro geral para o que ele descobriu em sua clínica a partir do método psicanalítico, individual, baseado na relação transferencial entre o analisando e o psicanalista.

Conclusões:Concluímos que a pergunta sobre a necessidade da metapsicologia específica estabelecida por Freud deve ser respondida com um não, caso falemos apenas do projeto efetivamente realizado, porém, a necessidade de estabelecer algum tipo de metapsicologia permanece, não sendo esta necessariamente aquela formulada especificamente por Freud. Na verdade, trata-se de um projeto inacabado e passível de alterações que se processam ao longo de décadas a partir da experiência de inúmeros psicanalistas e filósofos que se debruçam ainda hoje sobre os problemas freudianos. Enfim, trata-se de um projeto que se inicia em Freud, mas que atravessa a história da psicanálise até os dias atuais, e, pensando a partir dessa ótica, pressupõe muitos desdobramentos futuros.

Palavras-chave: Metapsicologia. Instinto. Repressão. Inconsciente. Ciência.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador